Massa saberá nesta terça se será competitivo em Mônaco

Piloto brasileiro realizará testes em traçado curto para analisar o desempenho de sua Ferrari

Livio Oricchio, O Estado de S. Paulo

12 de maio de 2008 | 17h43

Felipe Massa começa a descobrir nesta terça-feira, no circuito de Paul Ricard, na França, se poderá ser competitivo na próxima corrida do campeonato, dia 25 em Mônaco, como foi nas três últimas, quando conquistou duas vitórias e um segundo lugar. "Vamos treinar dois dias no traçado curto, que simula um pouco as condições da prova em Monte Carlo", explicou no fim de semana o piloto brasileiro, a respeito dos testes coletivos que serão realizados nesta semana. Na edição de 2007, Massa foi terceiro nas ruas do principado, ficando mais de um minuto atrás da dupla da McLaren, Fernando Alonso e Lewis Hamilton. Na quarta e quinta-feira, no mesmo circuito francês, as dez equipes que disputam o Mundial irão treinar numa versão de traçado semelhante à da pista de Montreal, dotada de retas longas e freadas fortes. A Ferrari também apresentou desempenho bastante fraco no circuito Gilles Villeneuve em 2007: deu McLaren, fácil, de novo. "Nós vamos verificar já em Paul Ricard o resultado de um trabalho que começou ainda no ano passado, quando regressamos à Europa. Repassamos à equipe as nossas muitas dificuldades naqueles GPs", falou Massa. "O carro deste ano foi projetado para ser rápido nos circuitos onde fomos bem em 2007 e ser mais eficiente nessas duas pistas." O ensaio que começa nesta terça dará a Massa e seu companheiro na Ferrari, Kimi Raikkonen, uma idéia de como deverá ser a luta com Hamilton e Heikki Kovalainen nas duas etapas. Dentre as modificações que os engenheiros Nikolas Tombazis e Aldo Costa fizeram no projeto do modelo F2008 está a redução da distância entreeixos, medida do centro da roda dianteira para o da traseira, no mesmo lado. A da Ferrari era a maior na Fórmula 1, superior a 3 metros, o que a ajudava nos traçados velozes, mas comprometia o desempenho nos dotados de curvas lentas, como os de Mônaco e de Montreal. Hamilton está bem vivo no campeonato depois de excelente performance domingo no GP da Turquia, segundo colocado. Definiu como "a melhor corrida da sua carreira", mesmo sem vencer. Foi na prova do Canadá, ano passado, que Hamilton conquistou sua primeira pole position e primeira vitória. Chegará com tudo, em especial porque está, agora, a apenas 7 pontos do líder, Raikkonen. Tem os mesmos pontos de Massa, 28, segundo colocado, mas uma vitória a menos, 2 a 1. Além de Hamilton, outro piloto que aguarda com ansiedade a próxima fase do calendário é o cada vez melhor Robert Kubica, da BMW, quarto no Mundial, com 24 pontos. Curiosamente, ele não vê a competição em Montecarlo como favorável ao seu carro. "Uma das alterações do F1.08 em relação ao modelo de 2007 é o aumento da distância entreeixos, o que pode não nos ser muito bom numa pista de rua", revelou. "Mas há semelhanças significativas entre o circuito do Canadá e Monza. E foi em Monza que conquistei meu primeiro pódio, nosso carro deve ir bem lá." Era sua terceira prova na Fórmula 1, em 2006, e já foi terceiro, com a BMW. Mas é verdade, também, que em Montreal Kubica retornará ao local onde sofreu um acidente assustador no ano passado. Tanto que não correu a etapa seguinte, nos Estados Unidos, por estar em recuperação.  Kubica simplesmente balança a cabeça para responder se a lembrança do ocorrido o incomoda: "Nada. O acidente foi espetacular para quem estava do lado de fora. Não sofri nada. Só não corri em Indianápolis porque não deixaram e, confesso, não gostei da decisão dos médicos, eu não tinha nada."

Tudo o que sabemos sobre:
Felipe MassaFórmula 1Ferrari

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.