Massa, sem visto canadense, perde vôo

Passageiro sem visto de entrada para o Canadá não viaja. A companhia aérea que aceitá-lo no vôo paga multa de 10 mil dólares canadenses. Foi o que Felipe Massa ouviu no check-in da Swissair, segunda-feira à noite, do aeroporto de Zurique, no embarque da equipe Sauber para Montreal. Resultado: só nesta terça-feira ele pôde voar para o Canadá, a fim de disputar, domingo, a oitava etapa da temporada. Se Michael Schumacher ou Rubens Barrichello vencerem a prova, a Ferrari comemorará 150 vitórias na Fórmula 1. O visto de entrada para os Estados Unidos não dá direito ao viajante entrar no Canadá, como imaginou Massa. Com isso, funcionários da Sauber tiveram de entrar em contato com a Embaixada do Canadá em Berlim, Alemanha, para resolver a questão. O atraso no embarque do piloto para Montreal o impediu de participar de uma corrida de bicicleta no bairro Petit Italie, conforme o programado. Beat Zehnder, chefe de equipe da Sauber, o substituiu bem, ao classificar-se em terceiro. Primeiro Schumacher e Barrichello, maiores candidatos a largar na primeira fila no GP do Canadá, têm de contornar a primeira e a segunda curvas sem envolverem-se em acidentes, o que já é um desafio no circuito Gilles Villeneuve. Nas últimas sete edições do evento, em nada menos de seis deles vários pilotos ficaram de fora da competição ainda nessas curvas. A exceção ficou por conta de 2000, em que os 22 que largaram comportaram-se exemplarmente. Se Schumacher e Barrichello passarem imunes por elas, as chances de comemorarem com a equipe sua 150ª vitória no Mundial serão grandes. Tudo começou no GP da Grã-Bretanha de 1951, em Silverstone, Inglaterra, no dia 14 de julho. O argentino Froilan Gonzalez, com uma Ferrari 375, cruzou a linha de chegada em primeiro, na frente de outro argentino, ainda não muito famoso, Juan Manuel Fangio, com Alfa Romeo159. Desde então, os carros do Comendador Enzo Anselmo Ferrari colecionaram conquistas na Fórmula 1. A próxima pode ser a 150ª vitória no Mundial, em 660 participações. Quem mais se aproxima da Ferrari é a McLaren, com 135 vitórias em 532 presenças em GPs.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.