Massa sonha com vitória na Malásia

Depois das duas sessões de treino livre desta sexta-feira, os pilotos tiveram uma idéia mais precisa do que podem realizar no GP da Malásia, domingo às 4 horas (horário de Brasília), embora sem levar em conta sua colocação no grid. Agora, apenas quatro horas antes da largada é disputada a segunda e decisiva sessão de classificação, o que no caso da prova no Circuito de Sepang corresponderá à meia noite de sábado.O mais veloz no treino livre da tarde, o mais importante, foi Felipe Massa, da Sauber, com 1min35s608. "Como eu havia dito antes, nossas chances de marcar pontos aqui são muito boas. Nosso carro é melhor do que as condições da Austrália me permitiram demonstrar." Ele tinha o carro mais leve que o do companheiro, Jacques Villeneuve, mas que continua tendo dificuldades de se adaptar ao modelo C24 da Sauber. O canadense obteve o 18º tempo, 1min38s121.Giancarlo Fisichella, da Renault, vencedor da etapa de abertura, em Melbourne, demonstrou preocupação com a corrida: "O calor excessivo está fazendo nosso carro sair muito de traseira, o que pode comprometer os pneus", disse. Nesta sexta-feira a temperatura no treino da tarde foi de 39 graus e o asfalto chegou a 59 graus. Fisichella ficou apenas com o sexto tempo da tarde, 1min35s841.Seu companheiro, Fernando Alonso, outro favorito para vencer, nono nesta sexta-feira, 1min36s103, lembrou ter sido difícil a escolha do pneu correto para as 56 voltas dos 5.543 metros do circuito de Sepang. "O calor reduz a aderência dos pneus e o carro tem reações imprevisíveis." A corrida da Renault, segundo seus pilotos, pode ser diferente da de Melbourne, em que dominou com facilidade.Mea culpa - A exemplo do treino livre na Austrália, Kimi Raikkonen, da McLaren, permaneceu boa parte do tempo fora da pista por errar e parar na caixa de brita. Mas no fim regressou e ainda marcou o quarto tempo, 1min35s719. "Me entusiasmei com o bom comportamento do carro e errei." Na etapa de Melbourne foi sua a responsabilidade por deixar o MP4/20 morrer na largada e ter de largar dos boxes, comprometendo um melhor resultado (ficou em oitavo). "Soltei a alavanca da embreagem um pouco rápido." Apesar do seu índice de erros elevado, possivelmente gerado pelo difícil momento nas relações com sua mulher, Raikkonen elogiou a McLaren. "Definitivamente podemos pensar em vitória aqui."Juan Pablo Montoya, seu companheiro, registrou o segundo tempo, 1min35s620. Kimi reclamou com a equipe por não ter avisado Montoya da sua aproximação na volta lançada, que acabou por prejudicá-lo. O finlandês preferiu atribuir a responsabilidade ao time em vez de acusar o colombiano e iniciar desde já uma relação tensa entre ambos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.