Massa tem ofertas para seguir na F1

De nada adiantou marcar pontos três vezes até agora, na sua temporada de estréia na Formula 1, e, mais que isso, ser considerado por quase todos na competição como um grande talento em ascensão. Felipe Massa, 21 anos, está oficialmente fora dos planos da Sauber, seu time atual. Ele será substituído em 2003 pelo alemão Heinz-Harald Frentzen. "O Peter Sauber me telefonou, disse que hoje eu deveria ir tomar café da manhã na equipe e aí então, me contou", contou Massa. "Eu sou grato a ele pela oportunidade de mostrar meu trabalho na Fórmula 1, mas espero que se arrependa." A decisão do suíço Peter Sauber não surpreende em nada quem vive o ambiente da Fórmula 1. Ele administra sua escuderia como um feudo da idade média e, como senhor feudal, dispensa quem oferece resistência, por menor que seja, às suas idéias. Ter-se classificado em quarto entre os construtores, ano passado, é o máximo que um dono de equipe com sua visão anacrônica pode atingir. A Sauber, portanto, chegou já a seu clímax. Para ir além disso é preciso dispor de um tipo de abertura conceitual que Peter Sauber, com suas convicções retrógradas, desconhece por completo. "Estou tranqüilo. Tenho duas ou três opções para continuar na Fórmula 1", afirmou Massa neste domingo. "Claro que fiquei um pouco chateado, mas faz parte. Eu sabia que isso poderia acontecer." Massa disse não saber o motivo de ter sido dispensado. "Não achei justa a decisão. Eu no lugar dele não teria agido assim." Em 13 etapas já realizadas, o jovem piloto de São Paulo foi sexto no GP da Malásia, segunda corrida do ano e da sua carreira na Fórmula 1, quinto na prova de Barcelona e sexto no GP da Europa, em Nurburgring. Na Hungria, no último domingo, permaneceu na quinta colocação a maior parte das 77 voltas, ainda que tenha terminado em sétimo. Ricardo Tedeschi é o empresário de Massa. "Eu não me surpreendi. Tanto que já mantenho contato com outras equipes", disse neste domingo. Ele não conta quais são, mas na etapa de Budapeste comentava-se que tanto Eddie Jordan, da Jordan, quanto Ove Andersson, da Toyota, demonstraram interesse pelo brasileiro, assim como por outros pilotos. "Temos ainda uma terceira escuderia. Estou viajando amanhã para a Europa e espero definir tudo o mais rápido possível", explicou Tedeschi. "Uma coisa eu digo, não acredito que não consiga um carro para 2003", completou Massa. Peter Sauber lhe garantiu que correrá as quatro provas que restam, os GPs da Bélgica, dia 1º, da Itália, 15, dos Estados Unidos, 29. O encerramento da temporada será no Japão, da 13 de outubro. No comunicado oficial da Sauber, o dono do time explica a escolha por Frentzen, cujo contrato tem apenas um ano de duração: "Ele demonstrou, este ano, não ser apenas um dos pilotos mais velozes, como grande capacidade de fazer uma equipe crescer". O alemão de 35 anos, com nove temporadas de experiência, conseguiu na Arrows, este ano, duas sextas colocações, nas corridas da Espanha e de Mônaco. Frentzen comentou que sua relação com Peter Sauber é especial. "Foi ele quem me introduziu nesse mundo da Fórmula 1, em 1994", revelou o alemão, que correu no time suíço de 1994 a 1996, quando se transferiu para a Williams e venceu apenas uma prova.

Agencia Estado,

25 Agosto 2002 | 15h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.