Massa tenta tirar atenções de Raikkonen e largar na frente

Felipe Massa começará a temporada de2008 da Fórmula 1 em uma situação oposta à do ano passado,quando era um dos favoritos ao título. Dessa vez, as atençõesestão voltadas para o seu companheiro de equipe, o atualcampeão mundial Kimi Raikkonen. Massa terá que impedir que o finlandês cresça ainda maisdepois de ter conquistado o título de 2007 por apenas um pontode diferença. E ele sabe que precisa se impor. "Na equipe, tem 100 por cento de igualdade entre os doisaté chegar um momento em que um não terá mais chance, como noano passado", afirmou Massa em entrevista nesta terça-feira. "O campeonato é longo e o importante é estar confiante nocarro. Tem sempre a pressão de andar na frente, e tem quepensar em fazer o melhor, para você e para a equipe." Correr ao lado de um campeão mundial não é novidade paraMassa, afinal em 2006 ele teve Michael Schumacher comocompanheiro. Mas no ano passado ele perdeu uma grandeoportunidade após a aposentadoria do heptacampeão e comRaikkonen ainda tentando se adequar à equipe italiana e ao fatode ter substituído o alemão. "Sem dúvida que ele está mais bem preparado, mas nãoacredito em diferença de performance clara até agora (nostestes de pré-temporada). Estou muito confortável no carro, 100por cento confiante, e com chance grande de brigar pelocampeonato", completou. Massa ainda tem a preferência de muitos para conquistar otítulo em 2008, mas ainda assim sua vida será mais difícildepois de Raikkonen ter se dado tão bem na Ferrari. E ele mesmoaponta o "Homem de Gelo" como um dos favoritos a conquistar otroféu, ao lado da sensação do ano passado, Lewis Hamilton, daMcLaren. "Se olharmos todos os pilotos, os que têm mais chanceseriam o Kimi e o Hamilton. A McLaren é uma equipe que pareceestar bem, melhor até que outros. Se tivesse que apontar agora,seriam Ferrari e McLaren", avaliou. Depois de espantar o mundo da Fórmula 1 e de ficar perto detornar-se o primeiro novato a conquistar o título, Hamiltonterminou o campeonato um ponto atrás de Raikkonen, assim comoseu então companheiro na McLaren, Fernando Alonso. Alonso optou por deixar a equipe e voltar à Renault, ondefoi bicampeão mundial. Para Massa, entretanto, essa pode nãoter sido uma boa troca. "Acredito que o Alonso não terá um carro tão competitivocomo em 2007. O Alonso era mais perigoso na McLaren que naRenault, é o que parece hoje em dia. A Renault deu umamelhorada, mas não sei se foi suficiente", aposta ele. MUDANÇAS Massa ficou muito satisfeito com os resultados obtidos napré-temporada, principalmente porque a equipe conseguiu colocarem pista os dois carros novos, diferente de outras temporadas,quando os testes eram realizados com um novo e outro antigo. "A base é boa, o carro é rápido, constante, bem maisconfiável do que na pré-temporada do ano passado. Acredito quea gente está bem, mas temos que esperar os primeiros resultadospara sabermos onde estamos." O piloto garantiu que já está bem adaptado às mudanças queserão adotadas neste ano, quando estão proibidos os auxílioseletrônicos, como os controles de tração e de largada. "Se fizer um balanço desde o primeiro teste até agora, éimpressionante como você aprende a fazer o trabalho do controleno pé. A gente usava o acelerador de maneira radical, hoje emdia não, tem que fazer o efeito do controle de tração,controlar o carro na saída da curva", disse ele, explicando quea maior diferença é sentida quando o piloto faz uma curva debaixa velocidade. Já a largada, para ele, será agora mais "humana". "Agora é o piloto que tem que largar. A gente dizia que nosprimeiros 200, 300 metros o mérito era todo dos engenheiros,agora a largada vai ser humana e não mais eletrônica."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.