Diego Azubel / EFE
Diego Azubel / EFE

Mau tempo em Xangai impede realização do segundo treino livre do GP da China

Hamilton pediu que a programação de treinos fosse alterada: "Hora dos novos patrões serem criativos"

Estadao Conteudo

07 de abril de 2017 | 07h46

A sexta-feira foi praticamente um dia perdido para os pilotos na preparação para o GP da China. Depois de só serem liberados para menos de 30 minutos de atividades no primeiro treino livre no Circuito Internacional de Xangai por causa do tempo ruim, a situação piorou ainda mais na segunda sessão, que, efetivamente, nem foi realizada.

A forte neblina em Xangai e a chuva não permitiam que uma importante exigência de segurança fosse cumprida para a atividade ocorrer - o regulamento aponta a necessidade de o helicóptero médico ter condições de decolar do circuito e pousar em um hospital, o que não era possível por causa da neblina.

No primeiro treino livre para o GP da China, os pilotos deram um total de apenas 124 voltas. O melhor nelas foi o holandês Max Verstappen, da Red Bull, com 1min50s491, seguido pelo brasileiro Felipe Massa, da Williams, com 1min52s086. Seis pilotos nem conseguiram registrar voltas, casos da dupla da Ferrari - Sebastian Vettel e Kimi Raikkonen - e do inglês Lewis Hamilton, da Mercedes.

Com as condições ruins, restou aos pilotos a possibilidade de tentarem entreter os fãs, como fez Hamilton, que tirou fotos com fãs presentes ao circuito chinês e autografou bonés. O inglês, claro, lamentou o dia perdido. "Obviamente não foi um grande dia", disse Hamilton. "A pista estava absolutamente boa e nós poderíamos ter corrido todo o dia hoje sem problemas se não fosse pelas nuvens".

No Twitter, o três vezes campeão mundial pressionou a FIA e os novos proprietários da Fórmula 1, o grupo Liberty Media, para ajustar a programação do fim de semana, concedendo mais tempo para treinos dos pilotos. Ele sugeriu a realização de três treinos livres no sábado e a sessão de classificação no domingo, antes da corrida. "É uma chance para os novos patrões serem proativos e criativos", escreveu.

Até agora, a FIA não deu qualquer indicativo de que vai alterar a programação. O terceiro livre está agendado para 1 hora (de Brasília) de sábado, com a sessão de classificação marcada para as 4 horas. O GP da China tem largada prevista para as 3 horas deste domingo.

A perspectiva é de tempo bom no sábado, mas a previsão aponta grande possibilidade de chuva no domingo. "Vai ser o mesmo para todos", disse o finlandês Valtteri Bottas, companheiro de Hamilton na Mercedes. "É uma pena esse tempo aqui, mas não há nada que possamos fazer. Estamos muito interessados em ver como estamos aqui, o que não descobrimos hoje".

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Lewis HamiltonFIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.