Max Mosley deve ir à Jordânia, ao invés do GP da Espanha

Presidente da FIA tem convite para o rali no país e novamente não deve comparecer à F-1, após escândalo

Agência Estado

16 de abril de 2008 | 14h54

O presidente da FIA, Max Mosley, não irá ao GP da Espanha, quarta etapa da temporada 2008 da Fórmula 1. No dia 27 de abril, data da prova em Barcelona, o inglês estará na Jordânia, a convite dos organizadores da etapa do país no Mundial de RaliVeja também: Sul-africanos declaram voto contra Max Mosley na FIA TV Estadão: Max Mosley está com os dias contados na FIAA ausência de Mosley será a segunda consecutiva em uma prova da Fórmula 1. Ele não foi ao Bahrein, no dia 6 deste mês, a pedido do governo local. Uma semana antes, em 31 de março, o jornal News of the World havia publicado vídeos e fotos do dirigente em uma orgia com cinco prostitutas, supostamente com temas nazistas.O convite para ir à Jordânia foi feito pelo príncipe Feisal Al-Hussein, irmão do rei do país, Abdullah Al-Hussein. "Mas sempre foi um incentivador do Rali da Jordânia e nos apoiou desde que a intenção de fazer a prova, há três anos. Estamos muito felizes por poder dividir com ele este momento histórico", disse o membro da família realO Rali da Jordânia será a quinta etapa do Mundial da categoria, que é organizado pela FIA, tal qual a Fórmula 1. A edição deste ano, entre 24 e 27 de abril, marcará a estréia da prova no campeonato.O futuro de Max Mosley à frente da FIA começará a ser decidido no dia 3 de junho, quando 222 membros afiliados à entidade participarão de uma assembléia extraordinária. Em pauta estará a concessão de um voto de confiança ao presidente - para que ele cumpra seu mandato até outubro de 2009 -, ou o início de um processo para tirá-lo do cargo

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Max MosleyFIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.