Yoan Valat/EFE
Yoan Valat/EFE

McLaren acata e agradece pelo tipo de punição da FIA

'Somos conscientes de que cometemos erros graves na Austrália e Malásia', fala o CEO, Martin Whitmarsh

EFE

29 de abril de 2009 | 10h32

PARIS - A McLaren afirmou que aceita a punição de três corridas imposta pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA) por haver mentido aos comissários do Grande Prêmio da Austrália de Fórmula 1, ao mesmo tempo em que agradece à organização por manter a pena em suspenso.

Veja também:

linkFIA pune McLaren por 3 corridas, mas deixa pena em suspenso

tabela F-1: classificação do Mundial

especialConfira o calendário da temporada

especialESPECIAL: jogue o Desafio dos Pilotos

Em comunicado, a escuderia inglesa considera "justa" a audiência ocorrida hoje em Paris, na qual seu chefe de equipe, Martin Whitmarsh, pediu perdão pelos "erros cometidos" e prometeu uma mudança de rumo na equipe.

A sanção de três corridas aconteceu depois de a McLaren ter mentido aos comissários de corrida no GP da Austrália, em março, quando asseguraram que não tinham dado ordens a um de seus pilotos, o inglês Lewis Hamilton, para deixar o italiano Jarno Trulli, da Toyota, ultrapassá-lo durante a bandeira amarela.

As gravações das conversas entre a escuderia e Hamilton demonstraram que as ordens foram dadas, o que levou a FIA a punir a McLaren.

Entretanto, a boa vontade de Whitmarsh e sua intenção de mudar o rumo da escuderia levaram o Conselho Mundial a deixar a punição em suspenso, a menos que sejam descobertos novos elementos relacionados com a mesma ou caso a McLaren volte a quebrar as normas da FIA nos próximos 12 meses.

Whitmarsh se mostrou satisfeito pela decisão do Conselho Mundial da FIA e louvou as medidas tomadas para que o ocorrido na Austrália não se repita.

"Eu gostaria de agradecer aos membros do Conselho Mundial por terem me dado a oportunidade de responder a suas perguntas esta manhã. Somos conscientes de que cometemos erros graves na Austrália e Malásia, e me alegra muito, portanto, ser capaz de pedir desculpas por esses erros mais uma vez", disse Whitmarsh.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1FIAMcLaren

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.