McLaren aguarda julgamento após carta de desculpas

'Eu escrevi para Max Mosley, mas obviamente antes do dia 29 eu não posso dizer nada a respeito', diz Whitmarsh

ALAN BALDWIN, REUTERS

24 de abril de 2009 | 12h50

MANAMA - A McLaren escreveu uma carta de desculpas à Federação Internacional de Automobilismo por ter enganado os fiscais de uma corrida e assumiu seu erro, antes do julgamento da próxima semana que pode suspender a equipe do campeonato.

Veja também:

tabela F-1: classificação do Mundial

especialConfira o calendário da temporada

especialESPECIAL: jogue o Desafio dos Pilotos

"Nós estamos colaborando com a FIA, eu escrevi para (o presidente da Federação Internacional de Automobilismo) Max Mosley, mas obviamente antes do dia 29 eu não posso dizer nada a respeito", disse à Reuters o chefe da equipe McLaren, Martin Whitmarsh, no Grande Prêmio do Bahrein.

"É uma carta a eles. Certamente não haverá vazamento sobre isto da nossa parte, e eu não posso comentar a respeito", acrescentou.

Uma fonte, que não quis ser identificada, disse à Reuters pela manhã que Whitmarsh escreveu a Mosley, a autoridades da FIA e da corrida na Austrália para oferecer "um pedido de desculpas aberto" por ter mentido a comissários na prova de abertura da temporada, em Melbourne, no mês passado.

A fonte disse que a equipe também confessou ter quebrado as regras do esporte, uma confissão que direcionou a equipe efetivamente a pedir desculpas às autoridades.

A McLaren está sendo acusada em cinco pontos por ter prejudicado a imagem do esporte. A audiência diante do Conselho Mundial de Automobilismo da FIA será em Paris, na próxima quarta-feira.

A equipe suspendeu e depois despediu o diretor Dave Ryan, considerado responsável pelo incidente, enquanto seu campeão mundial Lewis Hamilton pediu desculpas publicamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.