Divulgação
Divulgação

McLaren anuncia patrocínio com canal de notícias CNN na F-1

Equipe e emissora de TV americana selam acordo com duração não revelada para estampar a marca nos carros da escuderia inglesa

Estadão Conteúdo

20 de janeiro de 2015 | 10h36

A McLaren anunciou oficialmente nesta terça-feira que acertou um acordo de patrocínio com a CNN International, famoso canal de notícias, que passará a estampar o seu nome nos carros da tradicional equipe na Fórmula 1. Ainda sem fechar um patrocinador principal, a escuderia inglesa selou um compromisso de "múltiplos anos" com a emissora de TV - a duração do mesmo não foi revelada.

Não foram revelados detalhes financeiros do acordo entre as partes, sendo que a CNN terá a sua marca exibida na asa dianteira dos carros da McLaren, cujo novo modelo para esta temporada da F1 será apresentado no próximo dia 29.

Nova parceira da McLaren, a CNN já havia fechado anteriormente um acordo com a Caterham, time que teve o patrocínio do canal entre 2010 e 2012. E agora o canal aposta que irá fortalecer ainda mais a sua marca ao estampar o seu nome em uma das mais importantes equipes da história da categoria máxima do automobilismo.

"A exposição que a CNN International vai ganhar através de nossa associação com a McLaren é parte de uma iniciativa para aumentar o engajamento dos consumidores para capitalizar na força da marca e consolidar a posição como a maior marca internacional de notícias", ressaltou Rani Raad, diretor comercial do canal de notícias.

Presidente e CEO da McLaren, Ron Dennis também festejou nesta terça o acordo firmado com a CNN. Ao falar sobre o mesmo, o dirigente destacou que vê uma "simetria inerente entre McLaren e CNN que nos faz estar em perfeita sintonia para a parceria". "Como a McLaren, a CNN é uma rede global tremendamente poderosa e influente, que passou décadas pioneira as mais recentes tecnologias e técnicas em um ambiente implacável, em ritmo acelerado. Eu acho que nós nos entendemos em muitos níveis", disse.

A partir desta temporada, a McLaren voltará a contar com motores fornecidos pela Honda, montadora japonesa que firmou parceria de sucesso com a equipe entre o final da década de 1980 e o início da de 1990. E, para voltar a brilhar como no passado no cenário da F1, o time terá uma nova dupla de campeões mundiais formada pelo inglês Jenson Button e pelo espanhol Fernando Alonso. Em queda nos últimos anos, a McLaren não ganha uma corrida desde 2012.

Tudo o que sabemos sobre:
velocidadeFórmula 1McLarenCNN

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.