McLaren diz não ter pressa para definir pilotos de 2015

Diretor de corridas da escuderia britânica, francês Éric Boullier, garante estar 'monitorando a situação cuidadosamente'

AE, Agência Estado

26 de junho de 2014 | 17h01

A McLaren não terá pressa e vai analisar bem as perspectivas para o futuro antes de definir os seus pilotos para a temporada de 2015 da Fórmula 1. Pelo menos é o que afirma o diretor de corridas da escuderia britânica, o francês Éric Boullier, que garante estar "monitorando a situação cuidadosamente".

Na próxima temporada, a equipe irá retomar uma das mais famosas parcerias da categoria com a Honda, que rendeu à McLaren quatro campeonatos de pilotos e o mesmo número de construtores e 44 vitórias em GPs entre 1988 e 1992. Os pilotos que irão guiar os carros, no entanto, ainda não foram escolhidos, uma vez que o contrato com o inglês campeão mundial em 2009, Jenson Button, se encerra no final deste ano e o dinamarquês Kevin Magnussen, que se juntou à equipe este ano, ocupa apenas a 10.ª posição no Mundial de Pilotos.

Perguntado sobre a situação de Button, piloto da equipe desde 2010, Boullier respondeu que não pode afirmar se o britânico fica ou não. "Nós temos sorte de ter dois pilotos que querem continuar com a gente para o futuro. Nós temos algumas opções contratuais, então não estamos com pressa para decidir quem irá guiar os carros na próxima temporada", afirmou.

Especificamente sobre Magnussem, Bullier disse manter a confiança no dinamarquês e afirmou que esteve em seu quarto depois do último GP, na Áustria, "apenas para conversar". "É preciso equilibrar a liberdade que você dá aos pilotos com o suporte que eles precisam para se desenvolverem", disse.

A McLaren troca um de seus pilotos titulares em todas as temporadas desde a saída do inglês Lewis Hamilton em 2013, quando o mexicano Sergio Perez assumiu um lugar na equipe. Perez foi substituído por Magnussen, atual campeão da Fórmula Renault 3.5, este ano.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1McLarenvelocidadeF-1F1

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.