McLaren diz que escândalo do ano passado não afetará 2008

Equipe inglesa deixa de desenvolver três áreas do novo carro para não ser acusada de espionagem

REUTERS

08 de janeiro de 2008 | 15h24

A polêmica de espionagem do ano passado na Fórmula 1 não vai atrapalhar as chances da McLaren para ganhar o título neste ano, garantiu o executivo-chefe da equipe, Martin Whitmarsh. No mês passado, a McLaren concordou em parar de desenvolver três áreas de seu carro para 2008, lançado na segunda-feira, para afastar qualquer tipo de suspeita sobre a incorporação de dados extraídos da Ferrari. Segundo Whitmarsh, porém, a decisão não tem maiores impactos. "Nos voluntariamos naquelas três áreas porque não queríamos que houvesse nenhuma ambiguidade ou questionamento no curso deste ano de que nosso programa tenha sido influenciado pelo que aconteceu no ano passado", disse ele a repórteres em Stuttgart. "Temos um nível de oportunidade igual ao das outras equipes com um carro que tomara seja competitivo para concorrer e ganhar provas", disse ele. A McLaren, que corre com motores Mercedes, foi multada em US$ 100 milhões e perdeu todos os pontos do campeonato de construtores em 2007, depois de um dossiê com informações técnicas da Ferrari ter sido encontrado na casa do projetista-chefe da equipe, Mike Coughlan.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1McLarenFerrariespionagem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.