McLaren entra com recurso, mas diz que não quer o título

Equipe inglesa deseja obter esclarecimentos sobre o regulamento que descreve temperatura de combustível

23 de outubro de 2007 | 14h08

Mesmo com o piloto, Lewis Hamilton, dizer que não quer ganhar o Mundial de pilotos pelo "tapetão", a equipe McLaren anunciou oficialmente, nesta terça-feira, sua apelação à FIA sobre as supostas irregularidades na temperatura dos combustíveis das equipes Williams e BMW.   Apesar de entrar com a apelação, a McLaren afirma que não pretende reverter a decisão do campeonato, e sim esclarecer alguns pontos e confirmar a importância do regulamento que especifica o limite de temperaturas do combustível.   "Não se trata de ganhar o título mundial através de despachos. Queremos apenas obter esclarecimentos sobre o conteúdo do regulamento e isto é de interesse de todas as equipes", disse Norbert Haug, chefe da Mercedes Sports, em comunicado oficial.   Após o GP do Brasil, Nico Rosberg, Robert Kubica, Nick Heidfeld e Nakajima tiveram seus carros analisados por comissários da FIA, que encontraram irregularidades na temporada dos combustíveis. Se houvesse a perda das posições conquistadas por Rosberg, Kubica e Heidfeld, Hamilton ficaria com a quarta colocação e, conseqüentemente, tiraria o título das mãos de Kimi Raikkonen, da Ferrari, mas a decisão da FIA foi a não punição por não ter dados contraditórios, que não esclareciam se havia ou não alguma irregularidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.