McLaren finalmente demite pivô de escândalo de espionagem

Por copiar segredos da Ferrari, Mike Coughlan causou prejuízo de mais de US$ 100 milhões à escuderia inglesa

REUTERS

14 de março de 2008 | 12h10

A McLaren finalmente dispensou o projetista-chefe Mike Coughlan, o homem no centro da polêmica de espionagem que custou US$ 100 milhões e o título de construtores da Fórmula 1 do ano passado.   Veja também:Pilotos e equipes da temporada 2008 da F-1Calendário e os circuitos da atual temporada da F-1 Blog do Livio: mais informações sobre a Fórmula 1 Reginaldo Leme e Livio Oricchio projetam 2008O time confirmou na sexta-feira, no Grande Prêmio da Austrália, que o britânico foi demitido. O escândalo começou quando um dossiê de 780 páginas com informações técnicas da Ferrari foi encontrado na casa de Coughlan. A polêmica foi travada em julho, quando Coughlan foi suspenso pela McLaren. Mas ele continuou na equipe por razões legais. A Ferrari demitiu Nigel Stephney, o engenheiro britânico acusado de passar as informações para Coughlan, em Julho. Ambos continuam a ser julgados na Itália. 

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1McLaren

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.