McLaren pode nem usar carro novo este ano

Parecia que Kimi Raikkonen, da McLaren, iria diminuir a diferença de sete pontos que havia dele para Michael Schumacher, o líder do Mundial, e não que o alemão a ampliaria em um ponto, como ocorreu. Como vários outros pilotos, até mesmo o vencedor, Ralf Schumacher, Kimi reclamou muito dos retardatários. ?Ocupei a terceira colocação a maior parte da corrida (até a 52ª volta de um total de 70)." Schumacher o ultrapassou no terceiro e último pit stop. ?As bandeiras azuis agitadas (para que o piloto facilite a ultrapassagem de quem vem atrás) não significam mais nada", falou irritado. Na largada o finlandês ultrapassou Schumacher e conseguiu manter-se na sua frente até a terceira parada, sem ser ameaçado. ?Não sei se conseguiria manter-me em terceiro porque nas últimas voltas tive problemas com um dos discos de freios traseiros e meu ritmo caiu." Mas David Coulthard, companheiro, poderia permanecer na frente do alemão, porque ganhou a posição do piloto da Ferrari nos pit stops (14ª volta ele e 17ª Schumacher). ?Infelizmente tivemos aquele problema na minha última parada (48ª volta), daria para ser terceiro", falou o escocês. Ele acabou em quinto. No terceiro pit stop, a mangueira de combustível ficou presa no bocal do tanque e quando Coulthard foi sair arrastou o operador que, por sorte, não se feriu. Mas toda a operação demorou 17,4 segundos, diante de 7,4 segundos do pit stop de Schumacher, na 52ª volta. Coulthard está em sétimo no Mundial, com 29 pontos. ?Os testes desta semana serão decisivos para o nosso novo carro (MP4/18)", disse neste domingo Ron Dennis, sócio e diretor da equipe. Kimi Raikkonen e David Coulthard estarão com um chassi cada um do MP4/18 em Barcelona. Se for bem nos quatro dias de trabalho, o carro estréia em Silverstone, dia 20. Como depois não serão mais permitidos testes, conforme manda o regulamento até 31 de agosto, a McLaren não terá como desenvolvê-lo. Nesse caso até sua participaçao no GP da Itália, corrida seguinte ao fim da proibição dos treinos, dia 14 de setembro, poderia estar comprometida. Como as duas últimas etapas, depois de Monza, são fora da Europa, Estados Unidos e Japão, não está descartada a possibilidade de o carro nem estrear este ano. Seria a base do modelo que a McLaren teria para 2004. Por mais incrível que possa parecer, procede.

Agencia Estado,

06 de julho de 2003 | 15h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.