McLaren preocupa Ferrari no Canadá

Pode ser que na sessão de classificação para o grid do GP do Canadá, neste sábado, Michael Schumacher e Rubens Barrichello, a dupla da Ferrari, até supere os pilotos da McLaren, Mika Hakkinen e David Coulthard. Nesta sexta-feira, no entanto, no primeiro dia de treinos da oitava etapa da temporada, em Montreal, o líder do Mundial, Schumacher, viu que tanto Hakkinen quanto Coulthard serão adversários bem difíceis no circuito Gilles Villeneuve. Hakkinen foi o mais rápido, com 1min17s672, e Coulthard ficou em segundo, 1min18s086, enquanto Rubinho registrou o quarto tempo, 898 milésimos atrás, e Schumacher, com problemas, apenas o 11º."Desde que eu corro nesta pista, nunca eu comecei os meus trabalhos aqui com um bom ajuste do carro. Esta foi a primeira vez", disse Hakkinen, apenas o 13º no campeonato, com 4 pontos, diante de 52 de Schumacher e 40 de Coulthard. "Preciso de seis vitórias nas dez corridas que restam, este ano, para entrar na luta pelo título, pelas minhas contas", disse o finlandês, campeão do mundo em 1998 e 1999. "É nisso que tenho de me apegar para me estimular a dar sempre o máximo." Mais uma vez Hakkinen confirmou que não correrá em função de Coulthard, hoje o principal adversário de Schumacher.Não fossem os preciosos pontos perdidos em Barcelona e em Mônaco, por falhas no sistema de largada da sua McLaren, Coulthard poderia até estar liderando o Mundial. O escocês lembrou ainda que no GP do Canadá do ano passado teve de cumprir um stop and go em razão de seu motor ter desligado no grid, antes da volta de apresentação, e seus mecânicos terem estendido o tempo de assistência além do permitido.Oficialmente Schumacher perdeu boa parte da sessão da tarde nos boxes para a equipe substituir componentes da suspensão dianteira direita, "por opção do piloto." Há suspeitas, no entanto, de que o alemão tenha tocado numa grade de proteção. O fato é ele assistiu da mureta dos boxes importantes minutos do treino. "Não estou preocupado, lutaremos pelo primeiro lugar na classificação e na corrida." O reparo ou "acerto no carro" demorou mais do esperado por Schumacher, daí ele ter obtido apenas o décimo tempo. Já Rubinho não teve nenhuma dificuldade técnica do primeiro dia de treinos do seu GP preferido.Esta será a nona vez que ele corre nos 4.421 metros do circuito Gilles Villeneuve. Até agora foi segundo duas vezes, 95 e 2000, e quinto em 1998. "Essa diferença para os primeiros não é real", afirmou, referindo-se a ser quase um segundo mais lento que Hakkinen.A Ferrari focalizou seu trabalho nesta sexta-feira nas difíceis 69 voltas da corrida, segundo Rubinho. O sistema de freios é o que mais preocupa a todos no Canadá, ao passo que na Ferrari o maior consumo do seu motor pode dar nova vitória à Coulthard, como já ocorreu na Áustria este ano. "Claro que estamos preocupados com isso, mas não deixamos o restante de lado só para pensar em economizar gasolina." O estilo de guiar de Rubinho consome um pouco menos que Schumacher, segundo a própria equipe. "Pode ser sim um fator de ajuda nessa prova." Ao comentar a vitória emocionante de Guga, em Roland Garros, disse: É um trabalho mental como o dele que eu estou precisando." A dupla da Williams, Juan Pablo Montoya e Ralf Schumacher, ficou com o quinto e o sexto tempo, confirmando que a equipe poderá lutar, neste sábado, pelas primeiras colocações no grid e a vitória domingo. Ninguém levou muito em conta o terceiro tempo de Eddie Irvine, da Jaguar. Visivelmente o irlandês retirou gasolina do carro para ficar mais leve. Enrique Bernoldi, da Arrows, foi o 17º, Luciano Burti, Prost, o 18º, e Tarso Marques, que quase não pôde treinar, o 22º.

Agencia Estado,

08 de junho de 2001 | 17h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.