Francesco Cigarini / Instagram
Francesco Cigarini / Instagram

Mecânico da Ferrari atropelado por Raikkonen passa bem após cirurgia na perna

Equipe foi multada em 50 mil euros (R$ 206 mil) devido ao acidente

Estadão Conteúdo

09 de abril de 2018 | 11h00

O mecânico da Ferrari Francesco Cigarini utilizou as redes sociais nesta segunda-feira para informar que passa bem após cirurgia na perna esquerda. No domingo, ele protagonizou o momento de principal tensão no GP do Bahrein de Fórmula 1.

+ Vettel diz que mentiu pelo rádio à Ferrari e festeja triunfo obtido no sufoco

+ Hamilton valoriza 3ª posição após largar do nono lugar no GP do Bahrein

O finlandês Kimi Raikkonen atropelou o mecânico na saída de um pit stop. O funcionário da Ferrari teve duas fraturas expostas após ter a perna esmagada por uma das rodas traseiras do carro.

"A cirurgia foi OK. Preciso agradecer a todas as pessoas que se preocuparam comigo. Nada mais, apenas um muito obrigado. Abraços", escreveu no Instagram. Junto com a mensagem, ele postou uma foto com a perna enfaixada, na cama do hospital, na cidade de Manama, capital do Bahrein.

Raikkonen foi um entre os mais de 30 mil que curtiu o post. A Ferrari informou que o mecânico fraturou a tíbia e a fíbula no acidente. O atropelamento aconteceu quando Cigarini se preparava para encaixar um novo pneu traseiro esquerdo, mas houve um problema para remoção da roda e ele ainda não havia se movimentado para trás antes de Raikkonen receber a luz verde para deixar os boxes.

Por causa do grave acidente, a Ferrari foi punida com uma multa de 50 mil euros (cerca de R$ 206 mil) pelos comissários da Federação Internacional de Automobilismo (FIA). Raikkonen se pronunciou sobre o acidente ainda no domingo.

"Meu trabalho é sair quando as luzes mudam para a cor verde. Essa é a única coisa que olhamos (na hora das trocas de pneus). Infelizmente, um dos caras (mecânicos) pagou um preço alto por qualquer erro. Então, com certeza, isso não é muito bom".

Sobre o estado de saúde do mecânico, o finlandês disse também ter a "certeza de que há as melhores pessoas possíveis para cuidar dele" e afirmou "esperar que ele melhore" o mais rápido possível após o grave acidente.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1FerrariKimi Raikkonen

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.