Médico inglês deixa a Fórmula 1

O neurocirurgião inglês Sidney Watkins, de 75 anos, não é mais o médico-chefe da FIA, função que ocupava desde 1978, tornando-se famoso na Fórmula 1.O cargo ficará agora com seu assistente imediato, o norte-americano Gary Hartstein, chefe do CTI do Hospital Universitário de Liége, na Bélgica. Sid Watkins tem grande responsabilidade na mudança conceitual sobre segurança que orientou a Fórmula 1 depois da morte de Ayrton Senna, em 1994.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.