Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
William West/AFP
William West/AFP

Mercedes culpa software e Hamilton lamenta: 'Não entendi o que aconteceu'

Toto Wolff diz que programa calculou errado a distância que garantiria liderança para atual campeão mundial

Estadao Conteudo

25 de março de 2018 | 11h10

Após perder uma prova que parecia ganha neste domingo, a Mercedes busca explicações para o que aconteceu no GP da Austrália, em Melbourne. Lewis Hamilton largou na pole, quebrou o recorde da pista, liderava com tranquilidade e parecia muito mais rápido que os rivais, até a entrada do safety car, que Sebastian Vettel aproveitou para saltar à ponta.

+ Vettel supera Hamilton e vence o GP da Austrália

Sem pilotos, Brasil terá representantes nos bastidores da Fórmula 1

ESPECIAL: Guia da temporada 2018

De acordo com o chefe da equipe, Toto Wolff, a culpa pelo resultado foi de um software. Ele explicou que o programa utilizado pela Mercedes calculou errado a distância necessária para Hamilton garantir a manutenção da liderança com o safety car quando Vettel retornasse dos boxes.

"Estávamos tentando construir tempo suficiente para criar vantagem", explicou Wolff. "Então, calculamos a distância necessária, e nosso computador garantiu que 15 segundos eram necessários para que a gente ficasse na liderança. O software e o sistema que usamos há cinco anos nos deram o número errado."

O dirigente ainda fez questão de defender Hamilton, que, após a perda da liderança para Vettel, falhou em pelo menos duas oportunidades na tentativa de recuperar a ponta. "O Lewis não fez nada errado. A culpa foi de um erro no software ou um algoritmo que simplesmente estava errado."

O próprio Hamilton mostrou ter ficado surpreso com o resultado da prova. Questionado sobre a perda da liderança, o piloto se disse confuso e explicou que ainda conversaria com os engenheiros para analisar o desempenho.

"Hoje, eu fiz tudo que podia, mas não era o que ninguém esperava que acontecesse. Eu ainda estou desacreditando um pouco, já que não entendi exatamente o que aconteceu. Assim que eu voltar com meus engenheiros, eles vão fazer uma análise e, obviamente, eu vou entender o motivo", limitou-se a dizer.

Situação pior ainda viveu o companheiro de Hamilton. Depois de errar no sábado e largar em 15.º, Valtteri Bottas melhorou um pouco sua posição e terminou apenas em oitavo, aumentando a desconfiança criada sobre ele já na temporada passada. O próprio finlandês se mostrou decepcionado com o resultado.

"Foi um dia um pouco frustrante. Eu consegui alguns pontos, mas não tanto quanto esperava, mesmo largando em 15.º no grid. Nós tínhamos um bom carro, a equipe fez um bom trabalho nisso. Infelizmente, eu não consegui aproveitar por causa da dificuldade de ultrapassar nesta pista. Também tive problemas de superaquecimento", explicou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.