Pavel Golovkin/AP
Pavel Golovkin/AP

Mercedes descarta mudar dupla e garante Hamilton para 2015

Toto Wolff, chefe da equipe, descarta a chance de troca de pilotos para a próxima temporada e acaba com rumores de saída do inglês

Estadão Conteúdo

14 de outubro de 2014 | 12h11

O chefe da equipe Mercedes, Toto Wolff, descartou nesta terça-feira a possibilidade de mudar a dupla de pilotos para as próximas temporadas da Fórmula 1. Enquanto o alemão Nico Rosberg possui um acordo por "múltiplos anos", o do inglês Lewis Hamilton se encerra em 2015, o que provocou rumores sobre uma possível saída do atual líder do Mundial de Pilotos. Mas Wolff descarta a possibilidade.

"Nós temos um contrato com ambos os nossos pilotos para 2015, e queremos continuar com a atual formação", disse Wolff. "Esses dois meninos são parte do sucesso da equipe, também porque eles se conhecem tão bem e porque se respeitam mutuamente", acrescentou. "Portanto, nossa principal prioridade é continuar com Lewis e Nico em 2015", concluiu. 

Rosberg está na Mercedes desde 2010, enquanto Hamilton foi contratado pela equipe no ano passado. Neste ano, eles dominam o Mundial de Pilotos e, inclusive, levaram a Mercedes a conquistar o título do Mundial de Construtores no último fim de semana, com uma "dobradinha" no GP da Rússia.

Wolff explicou que prefere, nesse momento, deixar Hamilton se concentrar na luta pelo título mundial, antes de iniciar a negociação de um novo contrato. "Nós concordamos com Lewis que queremos nos concentrar no campeonato e lhe dar a mesma possibilidade de Nico, e não envolvê-lo em discussões comerciais, financeiras e jurídicas até Abu Dabi. Meu compromisso com ele é que nós não vamos falar com ninguém sobre quaisquer termos ou contratos até lá", disse. 

Embalado por quatro vitórias consecutivas, Hamilton lidera o Mundial de Pilotos com 291 pontos e 17 de vantagem para Rosberg, o segundo colocado, quando ainda restam três provas para o encerramento do campeonato com 100 pontos em disputa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.