Arquivo/AE
Arquivo/AE

Mercedes exalta Lewis Hamilton e agradece Schumacher

Presidente da escuderia alemã se diz muito feliz por poder contar com o piloto inglês

O Estado de S. Paulo

28 de setembro de 2012 | 12h06

BRACKLEY - Lewis Hamilton será a novidade da Mercedes para a temporada 2013 da Fórmula 1, na vaga de Michael Schumacher, e elevará a ambição da equipe a partir do Mundial do ano que vem. Pelo menos foi o que afirmou o presidente da escuderia, Ross Brawn, que não escondeu a felicidade com a chegada do campeão da categoria em 2008, que deixará a McLaren no fim deste ano.

"Estou muito feliz em receber Lewis Hamilton", comentou Ross Brawn. "A chegada de um piloto do calibre de Lewis atesta para o crescimento da Mercedes na Fórmula 1 e estou orgulhoso que Lewis compartilhe de nossa visão e ambição pelo sucesso", completou o dirigente.

Brawn não escondeu que espera ver a Mercedes brigando pelo título a partir da próxima temporada. Ele avaliou que a equipe já possui carro e infraestrutura para isso e, com Lewis Hamilton e Nico Rosberg nos volantes, tem agora dois pilotos capazes de conquistar vitórias ao longo da temporada.

"Nos últimos três anos nós temos criado fundações e construído blocos que são necessários para competir regularmente no Campeonato Mundial", disse o dirigente. "Acredito que a combinação de Lewis e Nico será a dupla mais dinâmica e empolgante no grid para o ano que vem, e estou ansioso para que possamos alcançar isso juntos".

Para o lugar de Hamilton, a McLaren acertou com Sergio Pérez, que está na Sauber. A vaga de Pérez na equipe suíça aparece agora como uma das poucas opções para que o heptacampeão mundial Michael Schumacher continue na Fórmula 1 em 2013, o que parece cada vez menos provável. O alemão de 43 anos deixará a Mercedes ao final do ano, mas não sem antes receber o reconhecimento da escuderia.

"Sua energia e comprometimento nunca desapareceram, mesmo quando os resultados não alcançavam nossas expectativas, e estamos determinados a terminar a temporada de 2012 juntos, em alta", declarou Ross Brawn. "Ele deu uma importante contribuição para a equipe. Como sempre, foi um prazer trabalhar com Michael".

Schumacher chegou à Mercedes em 2010, após três anos aposentado, mas desde então nunca lembrou os grandes resultados obtidos na Fórmula 1 entre 1991 e 2006, quando conquistou seus sete títulos. Somente nesta temporada, no GP da Europa, ele alcançou seu primeiro pódio pela equipe, que, mesmo assim, agradeceu o alemão.

"Pelos últimos três anos, Michael foi um grande piloto e um embaixador exemplar da Mercedes. Sua experiência foi um fator muito importante para nos guiar no desenvolvimento da equipe em Brackley (sede da Mercedes) e estendemos nosso sincero agradecimento ao Michael por sua lealdade, trabalho em equipe e comprometimento", disse o vice-presidente da escuderia, Norbert Haug.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.