Mercedes surge como o carro a ser batido no GP da Austrália de Fórmula 1

Equipe desponta como favorita, com Williams, Ferrari e também Red Bull no segundo pelotão

O Estado de S. Paulo

15 de março de 2014 | 05h12

MELBOURNE - Se nos últimos quatro anos a Fórmula 1 viu o domínio de Sebastian Vettel e da Red Bull, a aposta para a madrugada deste domingo na abertura da temporada, é que a corrida na Austrália seja uma luta contra o poderio da Mercedes.

Lewis Hamilton e Nico Rosberg são os favoritos para a prova, e têm todas as credenciais para isso. A escuderia foi a melhor na pré-temporada, e nos primeiros treinos em Melbourne o piloto inglês fez o melhor tempo. O comando da equipe descarta o favoritismo, mas admite estar em situação vantajosa perante aos concorrentes.

"Nossos pilotos não são só bons, mas também inteligentes. Eles se conhecem há muito tempo e já foram colegas na época de kart. Estamos em ótimas condições", disse o diretor-executivo da Mercedes, Toto Wolff. Até o momento a escuderia alemã foi a que mais soube se adaptar ao novo regulamento, mas até mesmo para a favorita a corrida será um mistério. A durabilidade dos carros no novo regulamento vai fazer a prova na Austrália um teste no qual não bastará ser apenas o mais rápido.

"O mais importante de tudo será conseguir terminar a corrida", disse Vettel. Ele readquiriu a confiança nos treinos ao voltar a andar bem na sexta-feira, depois da pré-temporada pífia, e sabe que com a redução do limite de combustível a prova será vencida pelo piloto que administrar melhor todo o complexo conjunto do novo carro. 

OTIMISMO

A Williams, de Felipe Massa, está bem cotada para fazer uma boa prova. O time está reformulado na equipe de engenheiros e fez bons testes nos treinos livres de sexta-feira – até simulou corrida – e deixou o brasileiro animado para a sua estreia. "O carro não tem mostrado problemas e isso é muito positivo para acreditarmos em um bom resultado."

A Ferrari manteve o posto de escuderia que corre por fora. Correta e discreta nos testes, na Austrália teve bom desempenho no primeiro treino de sexta-feira, quando Fernando Alonso foi o mais rápido. "Temos uma boa base e vamos trabalhar no desenvolvimento e tentar pontuar", disse o chefe da equipe, Stefano Domenicali. Na equipe italiana há ainda a expectativa pelo retorno de Kimi Raikkonen – que ano passado foi bem pela Lotus.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.