Joan Monfort/AP
Joan Monfort/AP

Mercedes suspeita que Ferrari 'escondeu o jogo' na pré-temporada da Fórmula 1

Equipe alemã questiona mau rendimento dos italianos durante os testes e aposta em evolução dos rivais

Redação, Estadão Conteúdo

22 de fevereiro de 2020 | 09h46

A Fórmula 1 teve nesta semana os seus primeiros testes de pré-temporada para o ano de 2020 e a Mercedes dominou a maioria das sessões realizadas por três dias no circuito da Catalunha, em Barcelona. A Racing Point e a Alfa Romeo surpreenderam com bons tempos de seus pilotos e a Red Bull preferiu se preocupar mais com a quilometragem para ver a confiabilidade do novo modelo.

Quem decepcionou mesmo, com problemas de motor e até de piloto - o alemão Sebastian Vettel pegou uma forte gripe e teve de ser substituído na última quarta-feira, o primeiro dia da pré-temporada -, foi a Ferrari. O tetracampeão mundial e seu companheiro de time, o monegasco Charles Leclerc, ficaram bem distantes dos melhores colocados.

O péssimo desempenho da escuderia italiana não passou despercebido pelas concorrentes. Neste sábado, a Mercedes declarou que suspeita que a Ferrari "escondeu o jogo" nos primeiros testes em Barcelona. Em um texto publicado em seu site oficial para analisar a semana de treinos no circuito catalão, a equipe alemã desconfia que a rival é muito mais rápida do que foi nas atividades dos últimos três dias.

"Ninguém quer logo de cara ficar falando que é a mais rápida de todas porque nunca se sabe certamente o que está sendo escondido e o que está por vir", afirmou a Mercedes. "Será que a Red Bull trará novidades na segunda sessão de testes (na próxima semana)? Por que a Ferrari passou a semana usando a sua unidade de potência (motor) consistentemente em um nível menor que as concorrentes?"

Na sexta-feira, o chefe da Ferrari, Mattia Binotto, assumiu que não está com pensamentos dos mais positivos em relação à temporada que está por vir. "Não estou tão otimista neste ano como estava no ano passado. Há outras equipes mais rápidos que nós no momento, eu acredito. O quão mais rápido é difícil de julgar, então vamos analisar todos os dados nos próximos dias. Mas não nos vejo tão rápidos quanto elas no momento", afirmou.

Depois, citou nominalmente Mercedes e Red Bull como as forças acima e explicitou aflição. "Se temos algumas preocupações? Sim. Não estamos tão rápidos quanto gostaríamos de estar. Mas ainda está cedo, há tempo para entender. A temporada é longa", concluiu o dirigente.

Os testes de pré-temporada da Fórmula 1 continuam na próxima semana, de quarta até sexta-feira, novamente no circuito da Catalunha. O campeonato começa no dia 15 de março com a realização do GP da Austrália, em Melbourne.

Tudo o que sabemos sobre:
automobilismoFórmula 1Ferrari

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.