Enric Fontcuberta/EFE
Enric Fontcuberta/EFE

Mercedes, Vettel e Red Bull adotam mesma estratégia de pneus para GP da Austrália

Monegasco Charles Leclerc, companheiro do alemão na escuderia italiana, foi a exceção na escolha

Redação, Estadão Conteúdo

05 de março de 2019 | 12h01

A Pirelli divulgou nesta terça-feira os pneus escolhidos pelas equipes para o fim de semana do GP da Austrália, prova que vai abrir a temporada 2019 da Fórmula 1 em 17 de março, e revelou que Mercedes, Ferrari e Red Bull, consideras as principais equipes do grid, decidiram adotar praticamente a mesma estratégia, com o monegasco Charles Leclerc sendo a exceção.

Como já havia ocorrido nos testes da pré-temporada, os pneus passam a ter nomenclatura diferente nas provas, por escala de dureza. No primeiro GP do ano, eles vão de C2, o composto mais duro disponível, até o C4, o pneu mais macio para o fim de semana na Austrália.

Cada piloto pode utilizar 13 compostos por fim de semana, sendo obrigatoriamente um de cada tipo. A Mercedes, com o britânico Lewis Hamilton e o finlandês Valtteri Bottas, o alemão Sebastian Vettel, da Ferrari, e os pilotos da Red Bull, o holandês Max Verstappen e o francês Pierre Gasly, fizeram a mesma opção: um jogo de compostos C2, três C3 e nove do tipo C4.

A exceção entre as mais fortes equipes da Fórmula 1 foi, então, Leclerc. O monegasco, que disputará a sua primeira prova como piloto da Ferrari, contará com dois jogos de compostos C2, dois do C3 e nove do C4.

Entre as outras equipes do grid da Fórmula 1, a Renault, com o australiano Daniel Ricciardo e o alemão Nico Hulkenberg, foi quem mais selecionou os pneus mais macios disponíveis, o C4, com dez. Já o novato britânico George Russell, que vai estrear pela Williams, acabou sendo o piloto que optou por mais compostos médios, o C3, com quatro.

O primeiro treino livre para o GP da Austrália vai ser disputado às 22 horas (de Brasília) de 14 de março. E a prova no circuito de Melbourne tem largada prevista para as 2h10 de 17 de março.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.