Clive Mason/AP
Clive Mason/AP

Mesmo dominante, Hamilton ainda tem recordes a buscar na Fórmula 1

Inglês pode quebrar marcas de Schumacher, Senna, Vettel e Raikkonen caso siga correndo

Felipe Rosa Mendes, O Estado de S. Paulo

16 de novembro de 2020 | 05h00

Ao se sagrar heptacampeão mundial, Lewis Hamilton não apenas se igualou a Michael Schumacher no número de títulos. O inglês alcançou um dos últimos recordes da Fórmula 1, considerado quase inatingível por especialistas. O piloto da Mercedes é o maior da história também em número de vitórias, pole positions, pódios, pontos e quilômetros na liderança.

 Mas Hamilton ainda está longe de dominar todos os recordes da categoria, boa parte deles ainda nas mãos de Schumacher. Um dos principais que ele ainda busca é o de maior número de voltas mais rápidas nos GPs. No momento, ele soma 53, bem abaixo das 77 do alemão. Para superar Schumacher, o inglês precisaria disputar mais duas temporadas na F-1. No momento, seu contrato com a Mercedes se encerra neste ano.

 Quando o assunto é vitória, o inglês almeja dois feitos: o recorde de triunfos consecutivos e a marca histórica de vitórias numa só temporada. No primeiro quesito, o recorde são nove do alemão Sebastian Vettel, em 2013. Com quatro vitórias consecutivas, igualaria Vettel se vencesse as últimas três provas do ano e as duas primeiras de 2021.

 Em uma só temporada, o inglês já venceu 11, em 2014, 2018 e 2019. Porém, nunca faturou 13 em apenas um campeonato, recorde estabelecido por Schumacher em 2004 e igualado por Vettel em 2013. Como já venceu 10, pode empatar este recorde se levar a melhor nas últimas três provas de 2020.

 O piloto da Mercedes já é o recordista de poles, com 97, mas fica atrás de Ayrton Senna quando a estatística é o número de poles consecutivas. Hamilton já conseguiu sete. O ídolo brasileiro tem oito no currículo.

 Hamilton também fica atrás de grandes ídolos quando o assunto são “Hat Trick” e “Grand Chelem”. Fazer um “hat trick” consiste em obter a pole, fazer a volta mais rápida e vencer a corrida, tudo num mesmo GP. O inglês fez isso 18 vezes até agora. Schumacher lidera a estatística, com 22.

 O “Grand Chelem” inclui ainda no mesmo pacote a vitória de ponta a ponta. O inglês obteve este feito por seis vezes em sua carreira. O recorde pertence ao compatriota Jim Clark, com oito, na década de 1960.

 Mas talvez o recorde mais distante de Hamilton seja o de número de GPs disputados. Hoje ele é apenas o sétimo colocado desta lista, com 264. O líder é Kimi Raikkonen, com 327. Ou seja, para ter alguma chance de alcançar a marca histórica, o piloto da Mercedes precisa seguir na F-1 por mais alguns anos e ainda torcer pela rápida aposentadoria do finlandês de 41 anos, que tem ao menos mais um ano de contrato com a equipe Alfa Romeo.

Mesmo ainda sem contrato para 2021, o inglês já avisou que a fome por novos recordes e conquistas ainda não acabou. “Vamos continuar a lutar por mais títulos. Vamos seguir tentando melhorar e continuar a correr e fazer o que fazemos, que é o que eu amo fazer”, afirma o novo heptacampeão mundial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.