Diego Azubel/EFE
Diego Azubel/EFE

Mesmo em primeiro, Sebastian Vettel não gostou totalmente do carro

Red Bull também consegue o segundo melhor tempo com o australiano Mark Webber

Livio Oricchio, Enviado especial - O Estado de S.Paulo

11 de outubro de 2013 | 08h31

SUZUKA - Apesar de ter estabelecido o melhor tempo na sessão livre da tarde, o de maior representatividade, Sebastian Vettel não ficou muito satifeito com o comportamento do seu carro no primeiro dia de atividades em Suzuka, no Japão, nesta sexta-feira. O alemão da Red Bull estabeleceu a marca de 1min33s852, à média de 222,7 km/h, para os seletivos 5.807 metros do traçado japonês, 262 milésimos melhor que o primeiro adversário da sua equipe, Nico Rosberg, da Mercedes, com o terceiro tempo, 1min34s114.

Para ratificar a provável hegemonia da Red Bull também em Suzuka, Mark Webber, companheiro de Vettel, ficou em segundo, 168 milésimos mais lento. As séries de voltas na simulação de corrida foram as melhores dentre os 22 inscritos no evento. Com sua assessora do lado, sempre controlando que não responda a mais de duas perguntas em alemão e inglês, e apenas para as TVs, Vettel comentou: “Olhando de fora parece que está tudo bem. Mas o equilíbrio do carro não está perfeito, temos de melhorá-lo e há onde mexermos”, disse. “Precisamos entender mais o funcionamento dos pneus. Em uma volta lançada, na classificação, amanhã, não será problema, mas nas muitas voltas da corrida(53), sim.”

O traçado de Suzuka é o que submete os pneus aos maiores esforços da temporada, daí a Pirelli ter escolhido os duros e os médios. Mas há um fator que está exigindo ainda mais dos pneus este ano e não previsto pelo histórico da prova, o calor. Às 14 horas, quando começou a sessão da tarde, a temperatura ambiente era de 30 graus e o asfalto chegou a 40 graus. Havia a possibilidade de chuva nesta sexta-feira, mas ela limitou-se ao período da noite. Não são esperadas mais chuvas para o restante do fim de semana. “Vimos hoje vários pilotos errando, será difícil administrar o desgaste dos pneus”, prevê Vettel. “Precisamos entendê-los para definir a estratégia para domingo.”

A sessão que vai definir o grid do GP do Japão tem grande importância segundo o piloto que pode já domingo definir a conquista do tetracampeonato. “Esta é uma pista muito dificil de se ultrapassar.” O flap móvel (DRS) pode ser usado na reta dos boxes, mas é relativamente curta e não há freada forte na curva 1. “A Mercedes virá bem forte amanhã (na sessão de classificação), aproveitam bem os pneus mais macios (médios, em Suzuka). Hoje de manhã eles estavam muito rápidos. Nós mexemos no carro e avançamos à tarde, mas ainda temos trabalho pela frente”, falou Vettel. O outro piloto da Mercedes, Lewis Hamilton, obteve o sexto tempo, a 590 milésimos de Vettel. De modo geral, Red Bull, Mercedes, Ferrari e Lotus deixam os boxes na sessão da tarde de sexta-feira com metade da massa de combustível, cerca de 130 quilos, daí os tempos terem alguma representatividade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.