Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Michelin ameaça não ceder pneus em Monza

Quase todo mundo na Fórmula 1 espera que a Michelin não leve adiante a ameaça feita nesta sexta-feira pelo seu diretor, Pierre Dupasquier. "É possível que nossos cinco times (Williams, McLaren, Renault, Toyota e Jaguar) sequer apareçam em Monza", afirmou o dirigente. Tudo porque a FIA anunciou que irá mudar a forma de medir a largura dos pneus dianteiros a partir do GP da Itália, próxima etapa do Mundial, no dia 14. Em vez de verificar antes da corrida, passará a fazê-lo depois da prova encerrada.O limite de largura é 27 milímetros. A alteração decorre da suspeita de que, durante a competição, os pneus franceses estariam aumentando sua largura. Verificar depois seria a maneira de controlar a acusação, possivelmente levada à FIA pela Bridgestone. A Michelin reconheceu, nesta sexta-feira, ser mesmo possível que, dependendo das condições, da temperatura e do desgaste, seus pneus dianteiros ultrapassem, naturalmente, o limite.Mas a ameaça de Dupasquier vem do fato de ser impossível projetar novos pneus e testá-los antes de Monza. A Michelin concorda com a mudança, mas para 2004. Quem tem suspeitas, agora, é o hábil Dupasquier. ?Penso que existem outros motivos por trás desta decisão", afirmou, dando a entender que o avanço da Michelin pode ser a razão.

Agencia Estado,

29 de agosto de 2003 | 19h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.