Mike Gascoyne rouba a cena no mundo da F-1

Comenta-se, com fundamentadas razões, que ele ganha tanto quanto os melhores pilotos da Fórmula 1, com exceção, lógico, de Michael Schumacher: Mike Gascoyne, inglês, 40 anos, engenheiro mecânico formado em Cambridge, com doutorado em aerodinâmica. Profissional da área técnica que recebe pedidos de entrevistas na mesma extensão de pilotos renomados. Em setembro deixou a Renault para conduzir o poderoso projeto da Toyota de ser campeã do mundo. "Considero-me uma pessoa de sorte. Já fiz projetos horríveis na Tyrrell (os modelos 021 de 1993 e o 023 de 1995), mas tive outras chances, o que foi fundamental para o meu aprendizado", diz Gascoyne, sempre acessível, apesar das inúmeras funções essenciais que assumiu na equipe. "Não há grandes projetistas hoje porque muitos, sem experiência, não têm quem os apóie por um período de trabalho, de forma a permitir que se formem na atividade", explica. "Claro que para mim isso é muito bom, mas vendo a Fórmula 1 como um todo, não."Engenheiros como ele são raros, daí serem supervalorizados. "Estou à vontade na Toyota. A equipe tem um belo motor e orçamento que nos permite crescer . A falta de performance vem do chassi, pouco veloz, e essa é a minha especialidade." O que primeiro Gascoyne sentiu no trabalho com os japoneses foi a necessidade de ter alguém que decida no grupo. "Eles são motivados, mas pela falta de experiência, desejavam que alguém mostrasse os caminhos a serem seguidos. Como assumi muitas dessas decisões, acabei superbem recebido."Sua principal função, na realidade, é coordenar os estudos no túnel de vento da equipe, em Colônia, na Alemanha. "É a área que mais irei atuar e apesar de ter me apresentado em dezembro, temos vários programas em curso." O modelo TF104 que está disputando o GP da Austrália já tem asa traseira nova, resultado do seu trabalho. "O mais importante, porém, são as novas versões do carro que irão estrear em Ímola (4ª etapa, dia 25 de abril) e em Silverstone (11ª etapa, dia 11 de julho)." Nessa versão que está sendo preparada para o GP da Grã-Bretanha até mesmo o monocoque sofrerá modificações para acomodar o pacote aerodinâmico assinado por Gascoyne. É quase um novo projeto.Sua meta é fazer da Toyota o que conseguiu na Renault. "Você viu o carro que a Renault fez? O mais importante é a estrutura que criei na equipe, ela foi capaz de produzir um modelo tão eficiente como o que construíram, não estou surpreso." Felizmente os japoneses sabem trabalhar a longo prazo, lembra: "Não dá para em nove meses, digamos, levar a Toyota a vencer corridas. É preciso tempo, não muito também. Para atingir nosso objetivo temos de seguir a receita da Renault, crescer passo a passo."Futuro - Os pilotos, Cristiano da Matta e Olivier Panis, atendem, por enquanto, seus interesses. "A hora que tivermos um carro para disputar as vitórias podemos pensar, se necessário, em substituí-los. Posso apenas dizer que muitos pilotos gostariam de correr aqui." Fala-se que Ralf Schumacher, caso não renove com a Williams, no fim do ano, poderá assumir o lugar de Olivier Panis, 37 anos, provavelmente na sua última temporada na Fórmula 1.

Agencia Estado,

04 de março de 2004 | 13h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.