Kim Kyung/Reuters
Kim Kyung/Reuters

Montezemolo compara Kimi a Lauda e vê Alonso feliz

O presidente da Ferrari se manifesta sobre a contratação do 'homem de gelo'

AE, Agência Estado

17 de setembro de 2013 | 10h08

MARANELLO - O presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo, se manifestou nesta terça-feira sobre a contratação de Kimi Raikkonen pela sua equipe para a temporada 2014 da Fórmula 1 comparou o finlandês a Niki Lauda. O austríaco ficou afastado da categoria por dois anos, em 1980 e 1981, mas depois retornou e conquistou o seu terceiro título mundial em 1984. Raikkonen, por sua vez, deixou a Fórmula 1 em 2009, dois anos depois de ser campeão pela Ferrari, que o dispensou, para retornar em 2012, pela Lotus.

"O Raikkonen é um caso idêntico ao de Lauda. Mesmo Niki em um ponto, disse ''basta'', porque estava cansado da Fórmula 1. Falei do irmão gêmeo de Kimi (em 2009), porque quem corria com a gente não era o mesmo que havia contratado. A parada foi boa, ele voltou no topo, ganhou e concluiu muitas corridas", disse Montezemolo, em entrevista ao jornal esportivo italiano Gazzetta dello Sport.

O dirigente avaliou que a chegada de Raikkonen será positiva para a Ferrari e também para o espanhol Fernando Alonso. "Queria um piloto que não fizesse eu me arrepender de ter perdido Massa. Aqui está Raikkonen, ele vence, tem regularidade de desempenho, pódios... Alonso será o primeiro a se beneficiar e estou feliz. Ele está de volta entre nós, os funcionários da Ferrari receberam bem a notícia, porque ele deixou uma boa memória", disse.

O presidente da Ferrari garantiu que Alonso foi avisado da decisão da Ferrari de contratar Raikkonen e explicou que a equipe não poderia fazer uma aposta em um jovem piloto, pois isso não lhe garantiria a luta pelo título mundial em 2014. Além disso, minimizou o risco de conflito entre os dois pilotos.

"Nós não somos tão masoquista para contratar um piloto sem informar Alonso. Fernando sempre esteve consciente da escolha por Raikkonen e que a alternativa de um jovem não daria certezas em relação ao Mundial de 2014. Raikkonen hoje é um dos mais fortes entre todos eles, com Alonso, Vettel e Hamilton. E Alonso é o primeiro a estar feliz com a sua chegada", reiterou.

Montezemolo lembrou novamente de Lauda e revelou uma expectativa alta em relação a Raikkonen ao citar o título mundial conquistado pelo austríaco em 1984. Naquela oportunidade, Lauda superou o francês em uma luta interna na McLaren para ser campeão. "Voltando a Lauda, quando ele voltou com uma energia diferente, conquistou o título ao bater Prost", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.