Montoya assume culpa por abandono

GP da Hungria, 42ª volta de um total de 70: Juan Pablo Montoya, da McLaren, lidera com uma vantagem de 6 segundos sobre Kimi Raikkonen, seu companheiro, 2º, e 19 segundos sobre Michael Schumacher, da Ferrari, em 3º. Tinha ainda a vantagem de estar na estratégia de 2 paradas diante de 3 dos dois adversários. Em resumo, a vitória, se não tivesse de deixar Raikkonen ultrapassá-lo, parecia certa. Mas, de repente, quebrou um semi-eixo da McLaren e Montoya abandonou. Fruto do acaso? Não. Enquanto se aproximava de sua posição no grid (2ª), antes da largada, deparou-se com dois mecânicos da BAR próximo de seu lugar. Acelerou, dando a entender que pedia passagem. Os dois saíram, mas atrás deles havia um dos muitos geradores movidos a gasolina, apoiados sobre carrinhos, utilizados para gerar a energia elétrica dos cobertores dos pneus, que são pré-aquecidos. Montoya passou com a roda traseira direita sobre um gerador, o que fez o carro saltar mais de meio metro, causando na queda enorme esforço no semi-eixo. Os mecânicos ainda substituíram os defletores aerodinâmicos afetados, mas o semi-eixo era impossível. Resultado: a peça quebrou, a McLaren perdeu grande chance de fazer uma dobradinha e aproximar-se bastante da Renault na liderança do Mundial de Construtores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.