Montoya diz que conversará com Ralf

Se unindo todas as forças já é muito difícil vencer hoje a Ferrari, com luta interna na equipe então é impossível. Por esse motivo, o colombiano Juan Pablo Montoya, da Williams, declarou que irá ter uma reunião com seu companheiro, Ralf Schumacher, antes do GP do Japão, última etapa do Mundial, dia 13, a fim de evitar novos acidentes entre ambos. No GP dos Estados Unidos os dois bateram no começo da segunda volta, quando lutavam pelo terceiro lugar. "Claro que não é bom que dois pilotos, da mesma equipe, se toquem na pista. Fiquei chateado com o ocorrido em Indianápolis, principalmente porque já tivemos outros incidentes dessa natureza", falou o colombiano à imprensa inglesa, terceiro colocado no Mundial, com 47 pontos, diante de 42 de Ralf, quarto. No GP dos Estados Unidos, Montoya terminou em quarto enquanto Ralf, por ter de trocar o aerofólio traseiro, em razão do choque entre ambos, causado por ele, foi 16º. O diretor-técnico da Williams, Patrick Head, afirmou que terá uma conversa dura com os dois antes da etapa de Suzuka. Ele lembrou que no passado outros pilotos da Williams, como Nelson Piquet e Nigel Mansell, nos campeonatos de 1986 e 1987, "chegaram a lutar pelo título até a última etapa e nunca se eliminaram das corridas". Agora a iniciativa de tentar resolver uma rusga que remonta ainda à chegada de Montoya à Williams, no início de 2001, partiu do próprio colombiano. "Acho que é hora de sentarmos para um bate-papo. Não tenho nada contra o Ralf, mas é inegável que precisamos revolver algumas coisas." Felipe Massa disputará no Japão sua última corrida como piloto titular da Sauber. E está otimista. "De tudo o que eu ouvi do traçado de Suzuka até agora, comparando-o a Mugello e Silverstone, as minhas pistas preferidas, só aumentou minha vontade de correr lá." Massa conquistou pontos em três das 15 etapas que participou este ano, o de estréia na Fórmula 1. "Seria bom terminar minha primeira temporada entre os seis primeiros de novo." O jovem piloto de 21 anos, que apesar de ser considerado a revelação do campeonato, perdeu a vaga na Sauber, para um veterano, Heinz-Harald Frentzen, aguarda a definição de Eddie Jordan para saber seu futuro. Se o irlandês fechar o orçamento da equipe, sem ter de recorrer a um piloto que disponha de patrocínio, Massa será o companheiro de Giancarlo Fisichella em 2003. Caso contrário, seu caminho deve ser o de piloto de testes, mas não da Sauber, como deseja Peter Sauber, mas da Ferrari, que já o convidou, apesar dos desmentido de seu empresário, Ricardo Tedeschi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.