Montoya é o melhor nos treinos da F1

Em mais um dia de acidentes espetaculares, o colombiano Juan Pablo Montoya, com a nova Williams-BMW FW24, concluiu o treino desta sexta-feira, em Valência, com o primeiro tempo, 1min12s410 (69 voltas), melhorando a marca do dia anterior, 1min13s736, e quase igualando o ótimo tempo registrado quinta-feira por Nick Heidfeld, com a surpreendente Sauber C21, 1min12s404. Os testes de preparação para o Mundial que começa dia 3 de março na Austrália prosseguem na segunda feira, no Circuito da Catalunha, em Barcelona. David Coulthard tomou nesta sexta-feira o seu primeiro susto da temporada. Provavelmente por causa de um pneu furado, o escocês perdeu o controle da nova McLaren MP4/17 no fim da reta da pista de Barcelona e capotou o carro. Ele não sofreu nada, tampouco os danos no monoposto foram grandes. A McLaren treinou esta semana sozinha no Circuito da Catalunha, sem divulgar os resultados obtidos. Coulthard limitou-se a dizer que estava bem e que o MP4/17 representa um grande avanço em relação ao carro de 2001. Nesta sexta-feira também, mas em Valência, Heinz-Harald Frentzen, com a nova Arrows, bateu contra a barreira de pneus depois que o aerofólio traseiro do modelo A23 saiu voando em plena reta dos boxes. Pela manhã, ele havia passado pela mesma situação nada agradável, mas conseguiu manter o controle do carro, o que não deu na sessão da tarde. "A Arrows cancelou o teste que eu faria neste sábado de manhã para compreender o que ocorreu", disse Enrique Bernoldi, companheiro do alemão. De qualquer forma a Arrows já encaminhou seu carro para Barcelona para treinar de segunda a quarta-feira. Nos dois primeiros dias com o brasileiro e depois com Frentzen. Novos suportes para o aerofólio traseiro já estavam em produção na fábrica da escuderia, em Leafeld, na Inglaterra. Nas 20 voltas que completou com o A23, Frentzen registrou 1min13s491, quinto melhor tempo dentre os 10 pilotos que treinaram. A revisão em todo conjunto aerodinâmico do modelo R3 da Jaguar parece der dado certo. Nesta sexta-feira, Pedro de la Rosa, em Valência, deu 78 voltas e marcou 1min13s229, segundo tempo. O carro não tinha pressão aerodinâmica na frente, o que fez com que a equipe fosse obrigada a interromper seus testes para rever o projeto. O diretor-técnico da Jaguar, o norte-americano Steve Nichols, foi demitido. A marca do espanhol, nesta sexta-feira, mostra que a temporada da Jaguar pode não ser o desastre total que todos já estavam imaginando. Marcar pontos, contudo, será difícil, já que além das três sempre favoritas a ficar com os seis primeiros lugares nas corridas, Ferrari, Williams e McLaren, as escuderias Sauber, Renault, BAR e Jordan estão, hoje, à frente da Jaguar. Se existe um piloto que causou excelente impressão nessa pré-temporada ele é o brasileiro Antonio Pizzonia, da Williams. Nesta sexta-feira, por exemplo, com o modelo 2001, ele foi mais rápido que Ralf Schumacher, que acelerava o novo FW24. O amazonense, de 21 anos, fez 1min13s377 (91), terceiro, diante de 1min13s484 (69) do alemão. Jacques Villeneuve, com a nova BAR, ficou em sexto, 1min13s577 (86) e seu companheiro, Olivier Panis, em sétimo, 1min13s744 (66). Anthony Davidson, com a BAR de 2001, obteve 1min14s177 (81), e a dupla da Minardi, ambos com o modelo 2002, foi a mais lenta. Alex Yoong fez 1min15s353 (38) e Mark Webber, 1min15s980 (30). A Ferrari trabalhou com Michael Schumacher e Luca Badoer em Mugello, com o carro de 2001. Neste domingo o alemão testa pela primeira vez o modelo F2002, em Fiorano.

Agencia Estado,

08 de fevereiro de 2002 | 16h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.