Montoya pode recorrer à Lei Bosman

A McLaren anunciou, na Hungria, última etapa do Mundial, seus pilotos para 2004. Então que história é essa, agora, de Juan Pablo Montoya não querer nem saber de continuar na Williams na próxima temporada e correr já ao lado de Kimi Raikkonen, na McLaren? O empresário do colombiano, Julian Jacobi, está tentando convencer Frank Williams a liberá-lo no fim do campeonato, sendo ou não campeão do mundo. E segundo a revista alemã Autobild Motorsport, Jacobi, que trabalhou com Ayrton Senna, pode até mesmo recorrer à ?Lei Bosman,? jurisprudência criada pelo caso do jogador de futebol belga Jean-Marc Bosman, em 1990, para mudar de clube. Montoya assinou, logo depois do GP da França, contrato com a McLaren. Seu compromisso com a Williams termina no fim de 2004 e, no ano seguinte, irá competir pela outra escuderia inglesa. A iniciativa de Montoya de romper o contrato com a Williams surpreende pelo inoportunismo. Tudo bem que serão US$ 6 milhões a mais por ano ? ganha US$ 6 milhões na Williams e ganhará o dobro na McLaren ?, mas ele tem chances boas de conquistar seu primeiro título na Fórmula 1. O momento seria de concentrar todos os esforços nesse sentido. Depois, campeão ou não, poderia reivindicar a mudança. Sua sorte é que a Williams, a BMW, e os patrocinadores da equipe necessitam, mais do que nunca, de vencer o Mundial. A Ferrari ganha tudo desde 2000. E sua sorte também é que Ralf Schumacher, que nesta terça-feira bateu forte nos testes de Monza, está 13 pontos atrás dele na classificação, 71 a 58. Fosse outra condição, Montoya poderia, de repente, deixar de ser o piloto que há sete corridas seguidas não sai do pódio. Uma coisa, porém, o colombiano já sabe: em 2004 viverá o inferno na Williams, tendo ou não conquistado o título este ano. Talvez seja por isso que ele queira virar a mesa. Na hora mais imprópria possível. Testes ? A proibição de testar, iniciada depois do GP da Grã-Bretanha, dia 21 de julho, terminou segunda-feira. E nesta terça-feira 15 pilotos treinaram em Monza, circuito da próxima etapa do campeonato, dia 14. David Coulthard, com a McLaren velha, mas com várias modificações, foi o mais veloz, 1min22s065 (61 voltas). Ralf Schumacher teve um princípio de fogo na Williams pela manhã e mais tarde colidiu com violência na barreira de pneus na primeira perna da curva Lesmo. Chegou a ser transportado para o hospital San Rafaele, em Milão, onde segundo a assessoria da Williams ?não foram constatadas lesões.? Michael Schumacher, com a Ferrari bem alterada também, ficou em terceiro, 1min22s532 (34), e Montoya, em décimo, 1min23s163 (88).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.