Morte de suspeito de roubo deixa família de Schumacher chocada

Acusado de furtar documento que tinha todas as informações sobre a real condição física do ex-piloto alemão foi encontrado morto

O Estado de S. Paulo

08 de agosto de 2014 | 10h20

Mesmo sendo acusado de roubar o dossiê médico de Michael Schumacher, a morte do suspeito, em cela na Suíça na última quarta-feira, abalou a família do ex-piloto. Nesta sexta-feira, a assessora de imprensa do alemão, Sabine Kehm, afirmou que os parentes não têm palavras para comentar a situação.

O nome e nacionalidade do rapaz não foram reveladas. Mas ele era funcionário da empresa Rega, que faz serviço de resgate aéreo. A companhia teria sido contratada pela família do campeão da Fórmula 1 para fazer seu transporte de um hospital na França para a residência de Schumacher, localizada na Suíça.

O documento roubado tinha cerca de dez páginas e trazia todos os detalhes sobre o acidente do alemão e seu estado de saúde. Em um comunicado, solto logo após o anúncio da morte do suspeito, o diretor da Rega, Ernst Kohler, lamentou o ocorrido. "Eventos como este nos deixam sem palavras e muito tristes. Nossas sinceras condolências e sentimentos aos familiares".

Tudo o que sabemos sobre:
velocidadeformula 1michael schumacher

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.