Luca Bruno/AP
Luca Bruno/AP

Mosley diz estar convencido de que Ferrari fica na F-1

Presidente da FIA admite ainda que pode fazer 'mais algumas' concessões para as equipes para 2010

EFE

24 de maio de 2009 | 10h08

MONTECARLO - O presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Max Mosley, declarou neste domingo após uma reunião com a Associação de Escuderias da Fórmula 1 (Fota, em inglês) que tem certeza de que a Ferrari disputará o mundial da categoria em 2010.

Veja também:

tabela F-1: classificação do Mundial

especial Confira o calendário da temporada

especial ESPECIAL: jogue o Desafio dos Pilotos

"Estou convencido de que Ferrari ainda estará aqui, mas acho que um ou dois construtores podem deixar a F-1", disse Mosley.

"É muito difícil para uma grande montadora continuar na F-1 quando precisa economizar em suas fábricas. Quando uma empresa está nesta situação, é pouco provável que invista na categoria. Portanto, existe o risco, o mesmo que há para as novas escuderias", opinou Mosley.

O presidente da FIA acrescentou que pode fazer "alguma exceção quanto à exclusão de alguns capítulos do orçamento para impô-lo plenamente em 2011".

Segundo Mosley, caso o caminho atual seja seguido, "as pequenas escuderias desapareceriam. Se um construtor pedir US$ 50 milhões, só a Ferrari ou alguma outra equipe conseguiria tal quantia. Nenhuma escuderia nova receberia esse dinheiro, a crise econômica afeta todo mundo".

Mesmo assim, o dirigente disse ter certeza de que "se encontrará uma solução".

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1FerrariMax MosleyFIAFota

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.