Mosley diz que racha na Fórmula 1 ainda pode acontecer

A ameaça de uma divisão no campeonato de Fórmula 1 ainda não pode ser totalmente descartada apesar de um acordo fechado nesta semana, disse o presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Max Mosley, nesta sexta-feira.

ALAN BALDWIN, REUTERS

26 de junho de 2009 | 13h00

Um dia após afirmar que o acordo entre as equipes e a FIA poderia ruir a menos que o presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo, pedisse desculpas pelos comentários sobre Mosley, o dirigente disse que ainda vê outros problemas.

Em duas cartas separadas, ele pediu aos membros da FIA que o apoiem contra a Associação das Equipes de F1 (Fota) e as montadoras.

"A FIA deve ser livre para confrontar a indústria automobilística sempre que necessária", disse Mosley ao poderoso Conselho Mundial de Automobilismo da FIA, entidade que chegou a um acordo com as escuderias na quarta-feira.

"Sem dúvida enfrentamos um período difícil", acrescentou o britânico, que anunciou na quarta-feira que deixaria o cargo em outubro, mas que no dia seguinte disse que manteria suas opções em aberto após a Fota ter dito que o novo presidente deveria ser mais independente.

"Isso pode resultar em problemas a curto prazo na Fórmula 1. É possível que a Fota crie um campeonato independente. Eles estão no direito deles", acrescentou Mosley.

"Mas o Campeonato Mundial de Fórmula 1 continuará sendo organizado pela FIA como foi nos últimos 60 anos. O campeonato já teve momentos difíceis no passado e certamente terá no futuro, mas não há motivo para dar o controle a ninguém de fora da entidade."

Tudo o que sabemos sobre:
FIMOSLEYBREAKWAY*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.