Motor de Raikkonen já preocupava Ferrari antes de GP

Escuderia italiana procura os motivos pelos quais motores não estão suportando duas corridas seguidas

AE, Agencia Estado

26 de agosto de 2008 | 10h06

A quebra do motor de Kimi Raikkonen, no GP de Valência de Fórmula 1, no domingo, não foi uma completa surpresa para a Ferrari. Nesta terça-feira, a equipe italiana assumiu que já temia problemas no propulsor do carro do finlandês desde que Felipe Massa teve uma quebra semelhante, na etapa da Hungria."Os engenheiros estavam cientes dos riscos potenciais do motor do carro de Kimi, que já estava em sua segunda corrida", disse a equipe em nota oficial. Pelo regulamento da categoria, cada propulsor deve ser usado em, pelo menos, duas provas. A troca - exceto por motivos de quebra - implica na perda de posições no grid de largada.Segundo a Ferrari, os componentes usados no motor de Raikkonen eram os mesmos que causaram problemas para Massa na corrida anterior. Mas o time preferiu arriscar. "Uma troca de motor o colocaria muito atrás no grid, e a pista impossibilitava as ultrapassagens."Com a quebra, Raikkonen abandonou a prova e continuou com 57 pontos no Mundial, caindo da vice-liderança para a terceira posição. Felipe Massa, vencedor da prova, assumiu o segundo lugar com 64. O líder é o inglês Lewis Hamilton, com 70.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.