Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Muitos fãs vão ao túmulo de Senna

A admiração por Ayrton Senna ainda continua muito forte, mesmo dez anos depois do acidente em Ímola, na Itália, que custou a vida do piloto. Neste sábado, vários fãs aproveitaram o dia para visitar o túmulo do tricampeão, no Cemitério do Morumby, onde foram colocadas muitas flores, fotos e até uma cruz com a frase "faz 10 anos exatamente hoje" escrita em japonês. Entre os muitos "anônimos" que foram ao local estava Nuno Cobra, que foi preparador físico de Senna. Ele chegou, ficou à frente do túmulo de olhos fechados por alguns minutos e depois conversou com vários fãs do piloto. "Depois de 10 anos, continua havendo um vazio no coração dos brasileiros. Talvez por ter faltado pouco para o Ayrton atingir o seu máximo", diz o preparador. Apesar de lamentar a perda do amigo, Nuno dá um recado para os admiradores do tricampeão. "Acho que o bacana é que os fãs entendam a mensagem magnífica que ele deixou, a mensagem de otimismo, de acreditar perenemente em todas as possibilidades." Sósia - Além de Nuno, Claudemir Vale, sósia de Senna, também estava lá. Com boné azul e cabelos um pouco mais compridos, o cozinheiro despertou a atenção de muita gente, que pediu até para tirar fotos com ele. Do dia do acidente para cá, Vale ficou apenas dois ou três anos sem ir ao cemitério. "Muitas pessoas vêm conversar comigo como se já me conhecessem. Alguns até me chamam de Ayrton." Conhecida por muitos dos admiradores de Senna, a metalúrgica Solange Lumertz também reservou o seu sábado para visitar o túmulo do piloto. "Venho aqui de 15 em 15 dias para limpar a placa com o nome do Ayrton Senna." Estava lá também a dona de casa Lúcia Souza, que chorou demais. "Admirava muito a postura dele. Adorava ver o Senna empunhando a bandeira do Brasil em uma época em que não tínhamos muita vontade de usar o verde-amarelo." Visitando o túmulo de Senna pela primeira vez, o locutor de rodeio Mauro Di Cusati também se emocionou. Tanto que já pensa em organizar caravanas de sua cidade, Mauá (SP), para o cemitério. Além de muitos brasileiros, alguns estrangeiros também aproveitaram o aniversário de dez anos da morte do piltoto para render homenagens a Senna. O autraliano Paul Premptis, por exemplo, veio de Melbourne especialmente por causa da data. Vestido com uma camiseta com a pintura do rosto do tricampeão, Premptis mostrou fotos de artigos como relógios e canetas com a marca do campeão. "Compro tudo que tem sua assinatura, principalmente se a renda é revertida para a Fundação Ayrton Senna." Fanático pelo piloto, o australiano chegou a tatuar o famoso "S" estilizado em suas costas. Outra admiradora que veio de longe é a japonesa Marumi Kurumadani. "Ela chegou ao País há alguns dias, mas fez questão de vir aqui para prestar sua homenagem ao Senna", explicou Arlindo Nawa, amigo da turista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.