Samuel Aranda|The New York Times|NYT
Samuel Aranda|The New York Times|NYT

Na casa da família Márquez, quem dá as ordens é a mãe

Marc, tri mundial de MotoGP, e o irmão caçula Alex, ainda vivem com os pais, fundamentais na formação dos pilotos

Raphael Minder - Cervera / Espanha, The New York Times

26 Fevereiro 2017 | 07h00

Marc Márquez bem que se esforçou para ficar longe da encrenca, mas não daquela à qual está acostumado. Em vez de desafiar a lei da gravidade na moto, como faz regularmente como o melhor piloto do mundo na atualidade da MotoGP, o rapaz encarava um desafio diferente: o de tentar respeitar as regras da casa da mãe depois de uma sessão de hidroginástica com o irmão caçula, Alex.

"Não pode deixar a toalha molhada dentro da sacola", Roser Alentà explicou depois que os filhos, seguindo suas instruções claríssimas, colocaram as peças sobre o radiador para secar. "Eles podem ser campeões mundiais, mas continuam sendo meus meninos e aqui em casa as coisas são feitas à minha maneira", afirma, categórica.

Pilotos que se tornam campeões mundiais – título que os dois irmãos Márquez conquistaram – geralmente se movimentam em círculos luxuosos e exclusivos como Mônaco e Suíça, mas os rapazes preferiram continuar se submetendo à marcação materna na casa com varandas que os pais compraram pouco antes do nascimento de Marc, há 23 anos.

Isso significa que todo inverno, depois que Marc Márquez já se cansou de viajar pelo mundo, competir diante de torcedores fervorosos e faturar aproximadamente US$11 milhões/ano (R$ 35,8 milhões/ano) nas duas últimas temporadas, ele volta a dormir no antigo beliche, cercado pela coleção de carrinhos que tem desde criança. 

"Sei que muita gente prefere passar o inverno em lugares como as Maldivas, mas aqui é o lugar onde sempre estive e continuo querendo ficar. Se você olhar para as pessoas à minha volta, família, amigos, a mudança foi zero. E aqui ainda posso treinar com o meu melhor amigo, meu irmão", explica Marc.

A casa da família Márquez tem um escritório lotado com os troféus conquistados pelos meninos na infância (as motos e os prêmios mais importantes ficam em um museu da cidadezinha). No quarto, Marc guarda os presentes que ganha de outros campeões, como a chuteira de Gerard Piqué, do Barcelona, e o capacete de Fernando Alonso, o piloto de Fórmula 1.

Em 2013, na primeira temporada na categoria MotoGP, Márquez se tornou, aos 20 anos, o piloto mais jovem a ganhar a corrida, e o mais novo também a garantir o título, superando recordes estabelecidos trinta anos antes por Freddie Spencer. Marc repetiu a dose em 2014, ano em que ele e Alex – com um título na Moto3, uma categoria menor – se tornaram os primeiros irmãos campeões do mundo no motociclismo. Marc levou o tri em 2016, acrescentando mais cinco vitórias ao currículo. O total atual, 29, já o coloca entre os dez melhores de todos os tempos.

A forma como ele pilota a moto é tão revolucionária quanto seu sucesso, um estilo no qual ele se abaixa tanto nas curvas que, muitas vezes, o cotovelo se torna, junto com o joelho, um ponto de apoio no asfalto.

"Como competia contra pilotos fisicamente mais fortes nos primeiros anos, Marc se empenhou para desenvolver um manejo que o permitia controlar a moto, grande demais para ele. Só ganhou corpo de homem com 18, 19 anos", diz o pai, Julià, do filho que hoje tem 1,70 m de altura e pesa 64 kg. Em março, Marc vai começar a brigar pelo quarto título de MotoGP à frente da esquadra espanhola que domina o motociclismo. 

"Desde criança o Marc absorvia tudo o que os pilotos faziam como nunca vi ninguém fazer", conta o tio, Ramon Márquez. 

Julià Márquez acompanha os filhos ao redor do mundo. Para isso, precisa equilibrar a tomada de decisões de riscos inerentes ao esporte, desenvolvida ao longo de uma vida de observação dos meninos, com as preocupações como pai.

"Vejo o Marc sendo extremamente agressivo e muitas vezes lhe pergunto até que ponto aquilo é necessário; e ele sempre me responde: 'Se não tentar, não posso saber qual é o limite'." Marc nega que vá se aposentar em breve e pretende seguir nas disputas por muito tempo. "Se você tirar minha moto, rouba metade da minha vida."

TEMPORADA 2017

A 1ª prova da MotoGP será disputada em 26 de março, no Catar. Os favoritos para o título são Marc Márquez, da Repsol Honda, Valentino Rossi, da Movistar Yamaha e Jorge Lorenzo, da Ducati Team.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.