Reprodução/Nelsinho Piquet Twitter
Reprodução/Nelsinho Piquet Twitter

Na Fórmula E, Nelsinho reclama do asfalto e do baixo rendimento em treino

'Se sair para tentar ultrapassar, o carro não ia parar e você iria bater em algum lugar', disse o brasileiro

Felipe Rosa Mendes, Estadão Conteúdo

26 de janeiro de 2019 | 22h05

Melhor brasileiro na etapa de Santiago da temporada 2018/2019 da Fórmula E, Nelsinho Piquet culpou o asfalto e a falta de rendimento no treino classificatório pelo 11º lugar na corrida, disputada neste sábado no Parque O'Higgins, na capital chilena. Ele largou apenas na 19ª posição no grid.

"Largando de trás, complica muito a situação. Ainda mais aqui, que a ultrapassagem ficou impossível. A pista era rápida, o pace era rápido, mas o grande motivo foi o asfalto ser destruído. E você não poder sair muito da linha. Se sair para tentar ultrapassar, o carro não ia parar e você iria bater em algum lugar. Foi uma pena porque não se viu tantas ultrapassagens, como aconteceu em outras corridas", analisou o brasileiro.

Nelsinho também admitiu que cometeu um erro no volante no decorrer da prova, o que lhe custou duas posições na classificação final. "Fiz uma besteira na configuração do volante, ficamos sem recuperação de energia por duas curvas. E perdi duas posições. Podia ter terminado em nono", comentou o piloto, que reconheceu que também ficaria insatisfeito com esta posição.

Sua maior preocupação está com o rendimento da Jaguar nos treinos classificatórios. Na sua avaliação, a performance precisa melhorar na formação do grid para que as chances da equipe aumentem ao longo da corrida.

"Temos que descobrir o que está acontecendo na classificação porque não está legal. A gente vem se classificando mal, em Marrakesh, ficamos entre os dez no primeiro. Aqui, tudo bem, a minha volta não foi das melhores, mas o Mitch [Evans, seu companheiro de equipe] também não foi bem. Largou em 12º. Temos que descobrir o que está acontecendo para obtermos uma classificação melhora, para termos mais confiança no carro. Para podermos abusar mais do carro."

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.