Luca Bruno / AP
Luca Bruno / AP

Na mira de Ferrari e Mercedes, Ricciardo diz que definirá futuro em até 6 semanas

Piloto australiano deseja mudança por acreditar que pode conquistar títulos nas próximas temporadas

Estadão Conteúdo

21 Junho 2018 | 13h10

O piloto Daniel Ricciardo disse nesta quinta-feira que decidirá seu futuro nas próximas seis semanas. Ele admitiu que pode deixar a Red Bull e correr por outra equipe na próxima temporada da Fórmula 1. Mercedes, Ferrari, e McLaren são as principais equipes interessadas no australiano.

+ F-1 confirma que GP da Bélgica acertou renovação para continuar em Spa até 2021

+ Red Bull anuncia que trocará motores Renault pela Honda em 2019

"Eu serei honesto, todo mundo está falando sobre Mercedes e Ferrari como potenciais equipes para eu ir, e estou ciente de que haverá interesse de outras escuderias, e acho que a McLaren é uma delas", admitiu Ricciardo em entrevista coletiva.

O australiano é um dos destaques da temporada da Fórmula 1, com as vitórias conquistadas nos GPs da China e de Mônaco, que o colocaram na quarta posição na classificação geral do campeonato, atrás de Valteri Bottas, Lewis Hamilton e Sebastian Vettel. Em quatro temporadas na Red Bull, Ricciardo venceu sete corridas.

Segundo o piloto, não houve conversas diretas entre as equipes interessadas, especialmente Ferrari e Mercedes. Ele se esquivou quando perguntado se ouviria as propostas dos rivais da Red Bull. "As pessoas falam, convidam para tomar café. Vou deixar tudo em aberto", disse, em tom de brincadeira.

A Fórmula 1 terá uma pausa de três semanas em agosto, após o GP da Hungria. É provável que as especulações sobre contratações de pilotos aumentem neste período. Até lá, Ricciardo disse que espera ter o futuro definido. "Seria legal se eu fosse para as férias de verão sabendo o que vou fazer", disse.

O fato é que Ricciardo deixou claro que não mudará de equipe só por mudar. Ele quer e acredita que pode conquistar títulos nas próximas temporadas da Fórmula 1.

"Com certeza a prioridade é conseguir um carro para ganhar o título mundial porque eu realmente acredito que posso", avaliou. "Eu sou um pouco cauteloso porque é fácil achar que a grama é mais verde e talvez seja, mas também estou muito bem onde estou. As pessoas gostam da mudança, mas mudar apenas por mudar não é o bastante para mim. Preciso encontrar algum motivo por trás para sair", emendou o piloto.

A Red Bull anunciou oficialmente nesta semana que encerrará a sua parceria de 12 anos com a Renault como fornecedora de motores. A Honda será a nova parceira da equipe para o próximo ano. Ricciardo deu a entender que não está preocupado com a mudança.

"Isso já era algo que estava tentando preparar ou calcular na minha mente. Só vou tentar entender um pouco mais sobre isso agora que está definitivamente certo e tentar encaixar as peças", concluiu.

Ricciardo e os outros pilotos da Fórmula 1 realizam os primeiros treinos livres para o GP da França nesta sexta-feira, no circuito de Paul Ricard. A sessão inicial será às 7 horas (de Brasília), enquanto a segunda começa às 11h, mesmo horário do treino qualificatório para o grid, no sábado. A corrida será neste domingo e a largada está prevista para ocorrer às 11h10.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.