Mark Thompson/AFP
Mark Thompson/AFP

Não há razão para Bottas sair da Williams, diz chefe da Mercedes

Piloto estaria despertando interesse da Ferrari na Fórmula 1

Estadão Conteúdo

13 Agosto 2015 | 13h21

Hoje chefe da equipe Mercedes, Toto Wolff foi um dos responsáveis pela entrada de Valtteri Bottas na Fórmula 1. Por isso, ele acabou sendo questionado pela imprensa italiana sobre o futuro do seu "pupilo", hoje piloto da Williams, que despertaria o interesse da Ferrari. Para o dirigente, porém, não faz sentido o finlandês deixar a Williams, ao menos enquanto a equipe continuar tendo um carro competitivo.

"Ele é um bom piloto, pode ser tentador para muitas equipes, mas a Williams é a terceira força do campeonato e tem potencial para estar no pódio em todas as corridas. Por isso, não há razão para sair", afirmou Wolff em entrevista ao jornal esportivo Gazzetta dello Sport.

O contrato de Bottas com a Williams se encerra ao término da temporada 2015, mas também possui uma cláusula que permite a renovação automática do acordo por mais um ano. Nesse caso, a Ferrari teria que pagar uma multa para contar com o finlandês em 2016.

Para Wolff, é natural que a Williams exija uma compensação financeira para ceder Bottas, que estreou na Fórmula 1 pela equipe inglesa. "Faz sentido para a Williams, que investiu nele e assumiu o risco quando ele era jovem", disse.

Independentemente das especulações sobre a possibilidade de substituir Kimi Raikkonen e formar dupla com Sebastian Vettel na Ferrari em 2016, Bottas vem realizando mais uma temporada consistente pela Williams e ocupa a quarta colocação no Mundial de Pilotos com 77 pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.