Lynn Bo Bo/EFE
Lynn Bo Bo/EFE

'Não rezei por um milagre, mas sabia que poderia vencer com chuva', diz Hamilton

Piloto da Mercedes conta com sorte para triunfar no GP de Cingapura na Fórmula 1

Estadão Conteúdo

17 de setembro de 2017 | 17h30

Sem milagres, mas com chuva e alguma sorte. Foi assim que o britânico Lewis Hamilton definiu sua vitória no GP de Cingapura de Fórmula 1, disputado neste domingo no circuito de Marina Bay.

Hamilton estava decepcionado ao ter feito apenas o quinto tempo no treino de classificação. Pior: seu principal concorrente na disputa pelo título, o alemão Sebastian Vettel, da Ferrari, largaria na pole. Mas, quando começou a chover antes do início da prova, o piloto da Mercedes contou ter pressentido que sua sorte tinha mudado.

"Eu não rezei por um milagre, eu não rezei para que nada acontecesse, mas quando choveu eu sabia: posso vencer saindo em quinto com a chuva", contou o piloto, que viu Vettel abandonar ao se envolver em um acidente na largada com Max Verstappen e Kimi Raikkonen.

Hamilton, assim, venceu a corrida e abriu 28 pontos de vantagem para o alemão. "Estava certo de que poderia fazer algo e, então, aconteceu, todos desapareceram", acrescentou o britânico, lembrando o acidente da largada. "Eu fiquei muito, muito feliz."

Sua alegria foi ainda maior, segundo ele, devido à boa vantagem que abriu na liderança da temporada. "Vim aqui hoje (domingo) com uma ideia de conter o estrago, pensando que sairia novamente atrás no campeonato - e, na verdade, estou bem na frente. Então, eu definitivamente contei com minha bênção", brincou.

Segundo colocado na corrida, por sua vez, o australiano Daniel Ricciardo reiterou que as condições climáticas foram determinantes neste domingo. "A chuva tornou tudo muito agitado, todos estavam no mesmo barco", comentou o piloto da Red Bull. "É claro que vim aqui para vencer, mas o segundo lugar é ótimo, não posso reclamar."

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Lewis Hamilton

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.