'Não tenho medo de voltar a acelerar', diz Massa

Se dependesse apenas da sua vontade, Felipe Massa já estaria pilotando sua Ferrari na sexta-feira, quando começam os treinos do GP da Europa de Fórmula 1, em Valência, na Espanha. Mas ele reconhece ainda não estar preparado para voltar às pistas, depois do grave acidente que sofreu no dia 25 de julho, na Hungria. "Apesar de me sentir bem, não estou 100%", avisou.

LIVIO ORICCHIO, Agencia Estado

17 de agosto de 2009 | 00h19

Nos primeiros dias de setembro, Massa fará nova tomografia para avaliar a sua recuperação. E, se tudo estiver de acordo com o esperado, poderá submeter-se aos exames da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) para pensar em voltar a correr. A parte psicológica, porém, já parece estar pronta. "Não tenho medo de voltar a acelerar", garantiu o piloto brasileiro.

Massa contou que não se lembra nada do acidente sofrido no treino de classificação do GP da Hungria, quando uma mola solta da Brawn GP do também brasileiro Rubens Barrichello atingiu o seu capacete, deixando-o inconsciente e provocando a batida. "Achei um acidente ridículo, tonto", contou o piloto da Ferrari. "Não vi a mola. Bateu no capacete e apaguei na hora."

Por ter ficado inconsciente, Massa disse que o acidente não o deixou abalado. "O acidente é algo que não fez parte da minha vida. Fiquei sabendo o que aconteceu depois, quando me contaram no hospital e ao ver as imagens. Não o senti", explicou o brasileiro. "Do ponto de vista psicológico o acidente não gerou efeito nenhum em mim. Já sofri acidente muito mais feio."

Atualmente, Massa faz a recuperação em sua casa em São Paulo. Ainda não pode fazer exercícios físicos, mas garante estar conseguindo se manter dentro do peso. Por enquanto, trata apenas de descansar. "É a parte chata, não poder fazer muita coisa", afirmou o piloto, que revelou também que ainda deverá passar por uma cirurgia plástica na cicatriz que ficou no rosto.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Massa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.