Divulgação
Divulgação

Nasr, agora mais longe do título da GP2. E provavelmente da Fórmula 1

Abandono na primeira corrida, sábado, e a vitória dos adversários que estavam logo atrás na classificação, Leimer e Bird, fizeram Felipe cair de segundo para quarto no campeonato

LIVIO ORICCHIO - ENVIADO ESPECIAL, O Estado de S. Paulo

08 de setembro de 2013 | 15h34

MONZA (ITÁLIA) - Ficou difícil para Felipe Nasr, da equipe Carlin, ser campeão da GP2, a competição em que o campeão, na maioria das vezes, ascende à Fórmula 1. A exemplo do fim de semana na Bélgica, há duas semanas, uma combinação de razões levou esse talentoso brasiliense de 21 anos a não marcar pontos em Monza. Consequência: chegou vice-líder do campeonato e saiu na quarta colocação.

Na sexta-feira, com um carro que não rendia como poderia, não foi além da 11.ª colocação na sessão que definiu o grid. Seu companheiro, o inglês Jolyon Palmer, obteve o terceiro tempo. Nasr tem sido quase sempre bem mais rápido que Palmer. Na corrida, quando tudo indicava que terminaria em sexto, uma pane hidráulica o fez abandonar. A princípio a informação foi de que a causa havia sido o motor.

Na segunda corrida, neste domingo, Nasr largou em 20.º, por não concluir a prova de sábado. A exemplo da segunda corrida na Bélgica, foi agressivo da largada à bandeirada, pois não tinha nada a perder, e terminou em 12.º, mas fora da zona dos pontos. “O que tenho a fazer é olhar para a frente”, afirmou.

O equilíbrio emocional é um dos seus pontos fortes. Mesmo depois de cometer o único erro até agora na temporada, em Spa, ao colidir com o companheiro, na prova que poderia ter assumido a liderança do campeonato, não se abateu, como bem demonstrou o impressionante desempenho no dia seguinte, em que largou lá atrás e somou um ponto do oitavo lugar.

O campeonato da GP2 deu uma reviravolta no GP da Itália, com a vitória, sábado, do suíço Fabio Leimer, da Racing, o segundo lugar do inglês Sam Bird, da Russian Time, e o abandono de Nasr e do então líder da temporada, o monegasco Stefano Coletti. Na corrida deste domingo, Leimer foi sexto e Bird, quarto, enquanto Nasr e Coletti, por ocuparem as últimas colocações do grid, de novo não marcaram pontos.

A classificação agora ficou assim: Leimer lidera com 159 pontos, Bird está em segundo, com 153, Coletti em terceiro, 135, e Nasr em quarto, 130. Restam ainda as etapas de Cingapura, dias 21 e 22, e de Adu Dabi, 2 e 3 de novembro, portanto apenas quatro corridas.

A queda de Nasr nessa fase final do campeonato está relacionada, principalmente, à menor evolução de sua equipe em relação a Racing, de Leimer, e a Russian Time, de Bird. E também ao fato de a partir do GP da Bélgica a Pirelli ter modificado os pneus, introduzindo os confeccionados com kevlar em vez de fios de aço. A Carlin não reagiu tão bem quanto suas adversárias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.