Nelsinho completa 1º dia de teste com F-1

O que todo mundo que gosta de automobilismo quer saber é se Nelsinho Piquet foi bem no seu primeiro teste com um carro de Fórmula 1, hoje em Jerez de la Frontera, na Espanha, com o modelo FW25 da Williams. Resposta: os técnicos da equipe com toda certeza devem ter gostado bastante do seu desempenho. Foram 64 voltas no traçado de 4.428 metros, junto de outros dois pilotos da Williams, Ralf Schumacher e Marc Gene, e na melhor passagem registrou 1min20s453. Ralf, com o FW25 ajustado de forma a poder ser o mais veloz possível e testando novos pneus para a Michelin, fez 1min17s453 (68 voltas), o melhor tempo já verificado em Jerez, recorde absoluto. À primeira vista, os exatos três segundos de diferença entre o tempo de Ralf e o de Nelsinho podem parecer muito para os padrões da Fórmula 1. Mas deve ter-se em conta que o piloto de 18 anos estava tentando compreender ainda o que é conduzir um monoposto de quase 900 cavalos, realidade bem distinta dos 220 cavalos de seu Fórmula 3 dentre vários outros atenuantes. "A sensação é incrível, o carro é muito rápido e com uma tecnologia inacreditável", disse Nelsinho. "É ótimo não precisar tirar as mãos do volante. O mais difícil será me adaptar à falta do pedal de embreagem." Nelson Piquet acompanhou o filho completar 20 voltas pela manhã e ver o treino ser interrompido por sair da pista na curva 1. Na sessão da tarde Nelsinho deu mais 44 voltas, demonstrando boa regularidade. Quinta-feira de manhã ele irá realizar outro teste. Amanhã o FW25 ficará o dia todo com Nico Rosberg, filho de Keke Rosberg, oitavo este ano no Campeonato Europeu de Fórmula 3. Nelsinho terminou em terceiro o Britânico da categoria. Nico acelera o modelo da Williams quinta-feira à tarde também. Marc Gené marcou hoje 1min18s326 (73). Os dois igualmente saíram da pista durante o ensaio. A Williams terá, amanhã, a companhia da Ferrari, BAR e Jordan. A Jaguar oficializou hoje a contratação do jovem austríaco Christian Klien, de 20 anos, para correr ao lado de Mark Webber.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.