Nelsinho diz que corre em 2008, só não sabe em qual equipe

'Alguém vai me dar uma chance, vou provar que posso pilotar um fórmula 1', afirma o filho de Nelson Piquet

Erica Akie Hideshima, Joprnal da Tarde

19 de outubro de 2007 | 18h37

Ninguém declarou oficialmente o que será de Nelsinho Piquet em 2008. De qualquer forma, o piloto de testes da Renault disse nesta sexta que correrá na Fórmula 1 na próxima temporada. "Alguém vai me dar uma chance, vou poder provar que posso pilotar como um bom piloto na Fórmula 1", disse. Nelsinho diz que não sabe sobre seu futuro na Renault. "Sei o mesmo que vocês sabem, não depende mais de mim", assinala. Em relação à Ferrari ter renovado com Felipe Massa, fechando a porta para Fernando Alonso e reaproximando o bicampeão de sua ex-escuderia - o que diminuiria as chances de ficar com a vaga na Renault -, Nelsinho afirmou: "Não estou preocupado com o que os outros estão fazendo ou vão fazer. Quero a minha chance e se o Alonso não vier para cá, sempre terá um lugar aberto para ele porque tem várias equipes que ainda não fecharam com seus pilotos." O filho do tricampeão mundial também falou sobre a comparação com Lewis Hamilton. O brasileiro deu trabalho ao inglês na temporada de 2006 da GP2, quando Lewis venceu por 113 a 101. Em 11 etapas, Nelsinho terminou cinco na frente do inglês. "É difícil falar sobre comparações. Na GP2 nós dois tínhamos bons carros, estávamos sempre marcando pontos e no fim do ano estávamos muito juntos", analisou. Mais do que talento, Nelsinho acredita que o inglês, favorito ao título da Fórmula 1, tenha sorte. "Na Fórmula 1 todo mundo quer vencer, mas para isso precisa ter um carro bom. Tenho certeza de que o (Nico) Rosberg e o (Heikki) Kovalainen são pilotos muito bons, mas não têm bons carros. Lewis é sortudo e é muito bom. Teve sorte de entrar no ano certo na McLaren. Ano passado eles não estavam tão bem e este ano estão com carro excelente. Pode ser que ano que vem eles não tenham um carro tão bom." De qualquer forma, o brasileiro diz estar pronto para estrear na principal categoria do automobilismo mundial: "No nível em que estamos na GP2, a gente não entra na Fórmula 1 para aprender. Temos de entrar preparados para disputar a corrida e ganhar se for competitivo. GP2 não é mais uma escolinha." Nelsinho também não quis opinar sobre quem será campeão domingo. "Se eu tivesse uma bola de cristal eu saberia. Obviamente quem tem mais chances é o Lewis, mas pode acontecer qualquer coisa. Ele pode errar como fez na China, a Ferrari pode estar muito forte. Qualquer um pode ganhar. Não quero dar chute", concluiu.

Tudo o que sabemos sobre:
fórmula 1Nelsinho PiquetGP do Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.