Arquivo/AE
Arquivo/AE

Nelsinho Piquet confirma sua permanência na Fórmula 1

Brasileiro desmentiu informação de que teria sido demitido da Renault e cobrou melhor desempenho do carro

14 de julho de 2009 | 14h58

SÃO PAULO - O brasileiro Nelsinho Piquet negou nesta terça-feira, 14, sua demissão da equipe Renault. Via twitter (uma rede de relacionamentos na internet), o piloto mandou um recado ao narrador Galvão Bueno que, anteriormente, havia confirmado o brasileiro fora da Fórmula 1.

 

Veja também:

link Chefe da Renault faz mistério sobre o futuro de Nelsinho

tabela F-1: classificação do Mundial

especial Confira o calendário da temporada

especial ESPECIAL: jogue o Desafio dos Pilotos

 

"Aí, Galvão, você está errado, meu bom", disse, em clara referência a afirmação do narrador. "Vamos torcer para que o carro esteja melhor lá [na Hungria]. Valeu pelo apoio de todo mundo", completou Nelsinho.

Na noite dessa segunda-feira, em seu programa no Sportv, Galvão chegou a afirmar, inclusive, que a escuderia francesa teria convocado o também brasileiro Luca Di Grassi para o lugar do piloto, já a partir do GP da Hungria, próxima etapa do Mundial, em 26 de julho.

Apesar de confirmado no cockpit da Renault, a situação de Nelsinho no campeonato não é das mais confortáveis. Em nove etapas, o piloto ainda não somou pontos - além dele, somente Kazumi Nakajima (Williams), Giancarlo Fisichella e Adrian Sutil (ambos da Force India) estão zerados na classificação.

Também pela internet, o brasileiro já havia se defendido do que classificou como boatos "de uma temporada boba", antes mesmo do GP da Alemanha, quando chegou na 13.ª colocação. "Não se preocupem com rumores. Apenas mantenham o foco na corrida. Eu estou focado".

A permanência de Nelsinho contraria também o jornal francês L´Equipe. Segundo a publicação, existe uma cláusula no contrato que o obriga a ter pelo menos 40% dos pontos conquistados pelo companheiro de equipe Fernando Alonso. O espanhol, bicampeão do mundo, tem 13 pontos.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1RenaultNelsinho Piquet

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.