Nelsinho Piquet esbanja confiança de que correrá na F1 em 2008

Nelsinho Piquet está esbanjandoconfiança pelos paddocks do Grande Prêmio do Brasil. Com umarepetição da tradicional dança das cadeiras entre os pilotos àvista, ele acredita que são grandes as chances de estrear naFórmula 1 já no ano que vem. Nelsinho, atual piloto de testes da Renault, poderiaassumir uma vaga de piloto oficial na equipe francesa já em2008, de acordo com especulações de bastidores. Sua posição,entretanto, pode ser influenciada pelo futuro do bicampeãoFernando Alonso. Muitos apostam que o espanhol deixará a McLaren no final doano, apesar de ter contrato para 2008, e a Renault já deixouclaro que gostaria de tê-lo de volta. "Existe uma grande probabilidade de estar correndo, mas seserá na Renault eu não sei. Tem várias vagas abertas e minhaschances de correr são boas", afirmou Nelsinho, de 22 anos,nesta sexta-feira. O filho do tricampeão mundial Nelson Piquet admite que suaschances na equipe francesa podem depender de Alonso, mas mostraconfiança de que estará correndo independente do que acontecercom o espanhol. "Espero que eu esteja correndo o ano que vem, mas nãodepende mais de mim. Talvez a minha chance de andar pelaRenault mude um pouco com o Alonso, mas não o meu futuro,"afirmou. "Cheguei na F1 pelos resultados que tive, e alguém vai medar uma chance de poder provar que tenho capacidade de pilotarbem. Só quero minha chance, sempre tem um lugar aberto, porquetem várias equipes que ainda não fecharam a porta", completouele, que quando foi contratado pela Renault no final de 2006 jáapostava em uma eventual aposentadoria de Giancarlo Fisichellapara assumir seu posto em 2008. Nelsinho conta com um nome de peso para ajudá-lo agerenciar sua carreira, o chefe da Renault, Flavio Briatore. O piloto só adotou uma cautela maior quando questionadosobre se poderia tornar-se uma grande revelação como LewisHamilton, que aos 22 anos explodiu na McLaren em sua primeiratemporada e pode tornar-se campeão no domingo. "O Hamilton é muito bom, mas também teve sorte de entrar nahora certa na McLaren, e contou com a sorte também de entrar naequipe na hora certa." Vice-campeão da GP2 no ano passado atrás de Hamilton,Nelsinho acredita que a experiência na principal categoria deacesso lhe garantiu tarimba suficiente para tornar-se piloto daF1. "O nível da GP2 em relação à F1 não é brincadeira, a gentesai da GP2 preparado para disputar a F1", afirmou.

CAMILA MOREIRA, REUTERS

19 de outubro de 2007 | 15h48

Tudo o que sabemos sobre:
FINELSINHOCONFIANRE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.