Nelsinho Piquet: 'Fórmula 1 foi mais difícil do que pensava'

Sem saber se continua na Renault na próxima temporada, piloto diz que Fernando Alonso teve mais atenção

André Avelar, estadao.com.br

30 de outubro de 2008 | 16h50

SÃO PAULO - Nelsinho Piquet admitiu nesta quinta-feira que correr na Fórmula 1 foi mais difícil do que ele imaginava. Atual 12.º colocado na classificação geral, o piloto chegou como esperança brasileira de vitória na categoria, mas não conseguiu mostrar o desempenho esperado no irregular carro da Renault.   Veja também:Massa reconhece que sua Ferrari não anda bem na chuva Hamilton descarta comparação com disputa de 2007  Blog do Livio Oricchio: Notícias e bastidores da F-1  Vote: quem leva o título da F-1: Hamilton ou Massa?  Classificação do Mundial de Pilotos e de Construtores  Além disso, Nelsinho teve de conviver com o bicampeão Fernando Alonso, que teve uma atenção maior dos mecânicos. "Foi mais difícil do que pensava. Quando era piloto de testes [em 2007] muitas vezes cravava a volta mais rápida. Mas nas competições a coisa foi diferente", disse o piloto, que até agora soma 19 pontos e ocupa a 12.ª colocação no Campeonato, tendo conseguido um segundo lugar no GP da Alemanha.  O brasileiro ainda falou da convivência com Alonso. "Na minha vida, sempre tive a equipe inteira ao meu lado. Porém na Renault a coisa foi diferente. Até porque o espanhol é bicampeão mundial e merece mais atenção por isso. De certa forma, eu até já consegui me adaptar à situação."DE DOMINGO PARA 2009 E Nelsinho afastou qualquer possibilidade de vitória para o GP do Brasil deste domingo, 2. O piloto quer se manter concentrado apenas para fazer uma boa prova e diz que não é o momento de pensar sequer em renovação de contrato.   "Eu tenho que somar pontos", afirmou. "A corrida não é decisiva, mas pode sim influenciar no meu futuro. Tenho que estar o mais tranqüilo possível para pontuar. Não tenho como vencer o GP, não tenho nem carro para isso", reconheceu.   Nelsinho teve um dia agitado nesta quinta-feira. Além de comparecer ao Autódromo de Interlagos para a coletiva de imprensa, o piloto foi "garoto propaganda" de um game na Universidade de São Paulo. Durante o evento, Nelsinho tentou se esquivar das perguntas polêmicas, principalmente quanto à renovação de seu contrato.   A Renault ainda não definiu os nomes dos pilotos para 2009. Nelsinho briga pela vaga com o também brasileiro Lucas Di Grassi e o francês Romain Grosjean. "Faço o meu trabalho da melhor forma possível. Gostaria de ter uma resposta hoje, mas a escolha depende dos chefões, e não de mim."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.